Suzano confirma entrada em operação de fábrica em Imperatriz para 2013

De O Globo:

São Paulo – A Suzano Papel e Celulose não tem interesse em se desfazer de todos os seus ativos de papel e se focar apenas na produção de celulose, como fez a concorrente Fibria.

Para o presidente da companhia, Antonio Maciel Neto, existe a possibilidade de alienação “de alguns ativos” no longo prazo, e o executivo mostra-se otimista em relação ao caixa e ao endividamento da companhia.

A Suzano possui um forte plano de crescimento até 2024, quando completa 100 anos de existência. O plano consiste em investimentos no aumento da capacidade de produção de celulose e abre novas frentes de negócios em biotecnologia e energia. Além disso, o plano também fala sobre “a liderança do mercado de papéis da America Latina”.

Para a primeira fase da ampliação da produção de celulose, que consiste em uma unidade produtora de 1,5 milhão de toneladas em Imperatriz (MA), já foi definido tanto o financiamento como a compra de equipamentos para a unidade, a primeira da Suzano no Nordeste.

“O que o nosso conselho colocou é que a prioridade é construirmos o plano 2024… não podemos como uma empresa pública dizer que não vamos vender nenhum ativo. O conselho disse que poderia vender determinados ativos de papel e participações em projetos futuros”, afirmou Maciel em entrevista à Reuters.

“No curto prazo não precisamos tomar nenhuma medida. A questão central é que nossos investimentos são de longo prazo”, lembrou.

Na segunda-feira, a Suzano divulgou comunicado em que afirmava que não descartava vendas de determinados ativos da área de papel e/ou participações em novos projetos da área de celulose, mas que não havia qualquer decisão sobre o assunto.

Atualmente, de acordo com o próprio presidente, a Suzano tem 36 por cento do mercado interno de papel e 30 por cento da distribuição do produto.

Maciel garantiu ainda que não existe nenhuma negociação em andamento para as eventuais vendas dos ativos de papel ou participações nos projetos de celulose. “O aumento de capital (para aumento do caixa) é a última alternativa porque é a mais cara para os acionistas”, disse Maciel.

Sobre um eventual novo adiamento de projetos, o presidente confirmou a entrada em operação da unidade do Maranhão para o final de 2013 e afirmou que uma decisão definitiva sobre a unidade do Piauí deve acontecer no primeiro semestre de 2014, quando a Suzano deve decidir sobre a compra de equipamentos para a fábrica, que também produzira 1,5 milhão de toneladas de celulose por ano. icipações S.A. Leia mais aqui.

Os comentários não representam a opinião deste blog; a responsabilidade é única e exclusiva dos autores das mensagens.

2 comentários para “Suzano confirma entrada em operação de fábrica em Imperatriz para 2013”


  1. jose carlos da silva

    Gostaria de enviar o meu curriculo, para que possa ser apreciado pela área de implantação ou operacional.
    Quais os procedimentos?

    Grato!
    José Carlos
    (98) 3238-4086
    (98) 9604-3003

  2. celiangela

    Gostaria de saber quando começa as inscrições desses novos cursos anuciado no ultimo dia 27 de setembro

deixe seu comentário