PV não se entende e apoia PCdoB na Raposa

No ano passado, o deputado Edilázio Júnior (PV) reuniu seus correligionários na Raposa – vereador Márcio Greyck, ex-vereador Félix Moreira e o presidente do partido, Frank Neto – para discutir uma candidatura à prefeitura. Ficou acertado que os dois primeiros iriam disputar internamente quem seria o candidato (reveja).

Arlete Pontes (vestido oncinha), Frank Neto, Laci e Talita: "balaiada" na Raposa

O tempo passou e eles não se entenderam. Neste final de semana, Frank Neto resolveu assumir seu lado “balaio”. Anunciou apoio a comunista Talita Laci, sua ex-mulher, filha do ex-prefeito Laci (PSDB).

Durante o encontro do qual participaram os deputados “balaios” Pinto Itamaraty e Carlos Brandão (PSDB) e o “futi” Domingos Dutra (PT), declarou apoio também ao projeto comunista a vereadora Arlete Pontes (PSDB), coordenadora do Programa de Assistência ao Idoso (PAI) do Governo do Maranhão no município.

Membros da direção do PV acreditam que por trás do apoio de Frank Neto a Talita Laci tem os dedos, as mãos e o pés de Edilázio, o “conspirador”.

Ao blog, Franklin Neto disse que resolveu apoiar a comunista porque precisa reforçar o projeto da oposição ao prefeito Onacy Paraíba (PP), que apoia a candidatura do vereador Clodomir (PRTB).

“O Márcio Greyk e o Félix Moreira não se entenderam e como faço oposição resolvi apoiar a Talita. A cidade está abandonada e a população não suporta mais essa situação”, justificou-se Frank Neto.

O presidente do PV fez questão de ressaltar que durante sua fala rebateu os discursos deputados federais que acusavam a governadora Roseana Sarney (PMDB) de não fazer nada pela cidade.

E agora Sarney Filho?

Pistoleiros pedem transferência do júri de Pedro Teles para capital alegando ‘jogo de cartas marcadas’

A defesa dos pistoleiros Moises Alexandre Pereira e Raimundo Pereira, acusados de matar no ano de 1997, em Barra do Corda, o líder comunitário e sem-teto Miguel Pereira Araújo, o Miguelzinho, a mando do empresário Pedro Teles, ajuizaram nesta segunda-feira pedido no Tribunal de Justiça do Maranhão solicitando a transferência do julgamento para São Luís.

Empresário Pedro Teles

A alegação é de que das 25 pessoas selecionadas para participar do júri popular, pelo menos 20 têm ligação com o empresário, seu pai, o prefeito Manoel Mariano de Sousa, o Nezim, e o deputado Rigo Teles (PV), irmão de Pedro (veja relação abaixo).

“Verifica-se que a lista de jurados sorteados é totalmente viciada, não havendo qualquer imparcialidade dos mesmos, nem tampouco haveria possibilidade de excluir aqueles que poderiam ser imparciais, já que dos listados com alguma ligação com a família do pronunciado Pedro Teles, só sobrariam cinco jurados, número insuficiente para compor o corpo de jurados, pois todos são amigos ou tem alguma ligação com a família do pronunciado”, diz o pedido.

A petição é assinada por Leandro Morais Sampaio Peixoto, filho do ex-prefeito Avelar Sampaio (PTB). Na época, foi Avelar quem cedeu Moisés e Raimundo para atuarem como segurança de Nenzim. O ex-prefeito deve prestar depoimento durante o julgamento.

Leia a íntegra do pedido de desaforamento

Leandro diz ainda na petição que cidades vizinhas como Grajaú e Presidente Dutra também não podem servir para a realização do júri, marcado para esta quarta-feira (25), porque Pedro Teles tem grande influência na região. Dos 25 jurados, apenas sete serão escolhidos para formar o júri. O advogado também ajuizou a petição na Corregedoria do Tribunal de Justiça no mesmo sentido.

Miguelzinho foi assassinado porque teria ocupado terras da família Teles em Barra do Corda.

1– Roservelt Guerra Gonçalves – irmão de Paulo Guerra, Assessor do deputado Rigo Teles, irmão do pronunciado Pedro;

2– Isamário Farias Lima – amigo íntimo da família e fornecedor da Prefeitura de Barra do Corda (gerente da Livraria do Estudante), a esposa, Joanice, é enfermeira contratada pela Prefeitura de Barra do Corda (conforme doc anexo);

3– Elker Sousa Ferreira – contratado da prefeitura como motorista, onde apenas recebe o salário, elencado na lista do mensalinho, pessoas que recebem salário do município sem trabalhar, e ainda amigo íntimo da família, um dos presidentes do bloco de carnaval Lisos dando shock, patrocinado exclusivamente por Rigo Teles.

4– Régis Moraes de Miranda – amigo particular do pronunciado Pedro teles, tem um prédio alugado para a prefeitura de depósito de merenda escolar;

5– Elinalda Rodrigues da Silva – está diretamente envolvida com o fato que culminou com a morte da vítima, Miguel Pereira Araújo. Era dona da terra invadida pela vítima. O marido dela é gerente do Posto Alvorada, de propriedade da família Teles e foi preso pela Polícia Federal junto com Pedro Teles.

6– Antonio Portilho Fonseca Filho – bioquímico contratado da prefeitura há mais de oito anos;

7– Idelbrando Alexandre Costa – motorista particular do Pedro Teles;

8– Bento Carreiro Carvalho – tem carro alugado para prefeitura, uma F-250;

9– Wilson da Silva Guimarães – fiscal da prefeitura;

10– Jean Amorim Pereira – filho do secretário de Administração da prefeitura, Gael Lobão;

11– Joana de Sousa Lima – esposa de Aldo Ribeiro, gerente do Banco de Empréstimo do pronunciado, Pedro Teles;

12– Manoel Moreira Lima – amigo de Pedro Teles, esposa é contratada pela Prefeitura Municipal de Barra do Corda;

13 – Rodrigo Silva Santos – motorista da Secretaria de Assistência Social de Barra do Corda e amigo íntimo da família Teles;

14 – José Arimateia Vilanova – “Vilar” amigo de Pedro Teles e ex-secretário da Secretaria de Indústria Comércio e Turismo da Prefeitura de Barra do Corda;

15 – Maria Edivania Pereira da Silva – Secretária da Abigail, mulher de Rigo Teles, está em cargo do Estado indicada pelo deputado;

16– Antonio Brás da Silva Filho – Amigo íntimo do pronunciado Pedro Teles;

17– Oliveira Florentino Filho – pré-candidato a Prefeito de Barra do Corda indicado pelo pronunciado Pedro, como noticiado por vários blogs (notícia anexa) trabalhou na Prefeitura como Secretário e é irmão do atual Secretário de Finanças;

18- Kelson Sousa Rabelo – Diretor do Hospital Municipal Acrísio Figueira, indicado por Pedro Teles;

19– George Alves Palma – vulgo “Bimbas”, proprietário de um lanche na cidade de Barra do Corda beneficiado pela prefeitura  com a entrega do estabelecimento comercial, um dos presidentes do bloco de carnaval “Lisos ando Shock”, amigo íntimo da família Teles, ainda recebe salário pela prefeitura sem trabalhar;

20 – Roberto Gleison Gomes Jorge – motorista da vereadora Nilda Barbalho, esposa de Pedro Teles.

Veja como foi a prisão dos assessores do TJ

Imagens mostram como aconteceu a prisão dos assessores do Tribunal de Justiça Marco Túlio Dominici e Francicos Reginaldo Duarte Barros, o Regis:

Policiais da Seic e o delegado Augusto Barros cercam a caminhonete onde estão Marco Túlio Dominici e Regis.

De bermuda, Régis é seguro por um policial fora da caminhonete de Dominici.

A pasta com parte do dinheiro. Na mochila, que aparece atrás está a outra da parte, que já havia sido dividida.

Delegado Augusto Barros mostra a mochila que guarda parte dos R$ 400 mil obtidos com a extorsão.

Policiais exibem a mochila e a pasta com o dinheiro da extorsão e os dois volumes dos processo julgado semana passada pela segunda Câmara Cível.

Marco Túlio Dominici aparece algemado entre os dois policiais da Seic.

Marco Túlio Dominici e Regis com as mãos para trás são observados pelos policiais.

Regis é levado pelo policial da Seic

Com informações e fotos do blog do Itevaldo Júnior.

STJ manda Bia Venâncio voltar para prefeitura

O presidente do STJ, ministro Ari Pagendler, suspendeu nesta segunda-feira decisão do desmbargador Raimundo Melo que havia afastado do cargo semana passada a prefeita de Paço do Lumiar, Bia Venâncio (PSD). Com isso, o vice-prefeito Raimundo Filho (PHS) está fora do comando do município.

Hospital Universitário diz ter entregue rim à família de paciente

O Hospital Universitário da UFMA vem a público informar que os médicos denunciados pelo Ministério Público do Maranhão em matéria divulgada no dia 17/04/2012 em seu site e amplamente reproduzida na imprensa, sobretudo no Fantástico deste domingo (22), são profissionais competentes, pertencem a uma equipe qualificada e devidamente credenciada pelo Sistema Nacional de Transplantes (SNT), com adequado perfil ético e técnico.

O programa de Transplante Renal do HUUFMA vem sendo desenvolvido há 12 (doze) anos somando 355 transplantes realizados, com resultados equiparáveis aos de outros serviços nacionais e internacionais.

As condutas adotadas durante todo o processo para a realização do transplante renal da Sra. Jacqueline Ferreira Rufino seguiram normas protocolares respaldadas pela Sociedade Brasileira de Nefrologia, pela Sociedade Brasileira de Urologia, Associação Médica Brasileira, Conselho Federal de Medicina e Associação Brasileira de Transplantes de Órgão, seguindo os ditames da ética e bioética, que sempre pautaram as condutas de todos os profissionais que aqui trabalham e se dedicam em prol da saúde da população maranhense.

Sobre a denúncia de que o órgão entregue à paciente não era o de Josevan Ferreira Rufino, esclarecemos:

1 – O rim foi entregue à família em 24.08.2006.
2 – Consta no processo que o rim permaneceu em poder da família por um período superior a 30 (trinta) dias.
3 – O rim foi apresentado pela família à perícia após 30 (trinta) dias da sua entrega.
4 – Consta no processo laudo de exame pericial de contraprova realizado pelo Ministério da Justiça que comprova que as lâminas requisitadas pela Justiça ao HUUFMA são COMPATÍVEIS com o DNA do doador.
5 – O HUUFMA não pode responder pela tramitação do rim após a sua entrega à família.vídeos e páginas da web.

Leia mais aqui.

TJ convoca credores para receber precatórios

Cerca de R$ 2 milhões em indenizações estão à disposição das partes vencedoras em processos judiciais contra o Estado do Maranhão e municípios. Por meio de edital, o Tribunal de Justiça está convocando os credores a receber o pagamento dos débitos pendentes, de acordo com orientação do presidente Guerreiro Júnior à Assessoria Jurídica da Presidência.

Cento e setenta e oito alvarás de levantamento do crédito do ano de 2011 estão prontos à espera do credor e os valores correspondentes previstos na lei orçamentária anual. Mais R$ 264 milhões em indenizações estão pendentes do repasse da verba orçamentária por parte do Governo ao Tribunal de Justiça.

Presidente do Tribunal de Justiça, Guerreiro Jr.

Os precatórios devidos pelo Estado relativos ao ano de 2012 (em torno de R$ 145 milhões) somente serão pagos após o repasse ao Tribunal dos valores referentes aos precatórios do ano passado, em respeito à ordem de apresentação e de acordo com a disponibilidade orçamentária colocada à disposição do Judiciário pelo Estado.

O edital de convocação será publicado no Diário da Justiça Eletrônico e disponibilizado no portal do Poder Judiciário na internet, onde também serão divulgadas as listas dos precatórios, conforme a autuação, o modelo atualizado do requerimento, e informações importantes para interessados (clique aqui).

Para receber o pagamento do precatório, o credor deve comparecer à Assessoria Jurídica da Presidência do Tribunal e retirar o alvará, pagar o selo judicial e dirigir-se ao Banco do Brasil para efetuar o saque do valor devido.

Regras – Além de convocar os credores e dar publicidade aos pagamentos pendentes, o presidente Guerreiro Júnior também expediu ofício circular aos juízes de Direito orientando sobre as regras do procedimento de precatório, com o objetivo de evitar erros no preenchimento do ofício requisitório do pagamento, que inviabilizem ou atrasem o andamento do processo.

Essas medidas foram tomadas pelo presidente diante da existência de precatórios pendentes de pagamento por desconhecimento das partes e do elevado número de ofícios requisitórios devolvidos por deixar de cumprir as regras de preenchimento, que devem atender às normas internas do Tribunal, do Conselho Nacional de Justiça, da jurisprudência do Supremo Tribunal Federal e da Constituição Federal.

O modelo do requerimento de pagamento é padronizado e de uso obrigatório pela vara judicial e o seu correto preenchimento, de acordo com as normas vigentes, é necessário para evitar que a devolução imediata para retificação resulte em prejuízo do interesse do jurisdicionado com a protelação do pagamento do precatório.

“A inobservância das regras de preenchimento também ocasionam vícios como o fracionamento do pagamento do precatório, o que é expressamente vedado pela Constituição. A sanção prevista nesse caso, para o presidente do Tribunal, é responder pelo crime de responsabilidade”, alerta Guerreiro Júnior.

O requerimento de pagamento deve informar a idade da parte e se é portadora de doença grave que justifique a prioridade no pagamento do precatório em relação aos demais beneficiários. Maiores de 60 anos ou portadores de doenças graves como AIDS, tuberculose, câncer ou mal de Parkinson, por exemplo, recebem primeiro, assim como pessoas cegas. A Assessoria Jurídica do TJMA franqueou o telefone (98) 2106-9050 para informações ao público.

Saiba mais sobre precatórios

O procedimento do precatório tem início após o trânsito em julgado da sentença, em que o Estado ou município é condenado. Passada a fase de execução, o juiz emite o ofício requisitório de pagamento ao presidente do Tribunal, autoridade responsável pelas providências para que requeira ao chefe do Executivo estadual ou municipal o cumprimento da ordem judicial de pagamento. A quitação do precatório é feita em ordem cronológica, conforme a data do registro.

Charge eletrônica: os eliminados

Turilândia: Curió denunciado por desvios no Fundeb

O prefeito de Turilândia, Domingos Sávio Fonseca, o Domingos Curió, foi dencunciado na Controladoria Geral da União, Ministério Público Federal e Estadual de desviar recursos do Funded. A denúncia não foi de nenhum inimigo político, mas do ex-secretário de Educação do município Rogério Martins Marques.

Prefeito Domingos Curió, de Turilândia

Segundo o ex-secretário, a prefeitura deixou de utilizar R$ 2,5 milhões em favor dos professores somente em 2009, recursos esses possivelmente desviados para outros fins.

De acordo com Rogério, Curió criava uma folha “fantasma” de pagamento dos professores. “Mesmo sendo secretário não posso ficar calado”, diz ele em denúncia feita em 2010 quando ainda era titular da pasta.

No ano passado, o Ministério Público Federal transformou a denúncia no inquérito civil público nº 1.19.000.001038/2-11-33. O procuraor Israel Ferreira já notificou o prefeito a dar explicações.

Curió também é acusado de comprar uma fazenda no valor de R$ 1,5 milhão com recursos de um convênio celebrado no governo José Reinaldo (2002-2006).

Terá muito o que eplicar. Leia a denúncia.

Deu no Fantástico: rim ‘desaparece’ após transplante no Hospital Universitário

Do Fantástico:

O Fantástico mostra uma história de mistério. É o caso de um transplante de rins entre irmãos, que tinha tudo pra dar certo, mas, depois de ser retirado do doador, o órgão sumiu. “Deram fim, deram algum sumiço. Pode estar em alguém. Esperamos por resposta”, comenta Josevan. “Meu irmão ficou sem um rim e eu continuo precisando”, afirma Jacqueline.

Seis anos atrás, a recepcionista Jacqueline Ferreira descobriu que precisava de um transplante. Ela sofria de insuficiência renal crônica. Os rins funcionavam com apenas 10% da capacidade.

Jacqueline:'Me sinto injustiçada, tudo que você possa pensar de ruim'

Jacqueline passou a fazer sessões de diálise todos os dias. Ficava seis horas presa a uma máquina, para que os aparelhos fizessem o que os rins não conseguem mais fazer sozinhos. Mas o irmão Josevan fez exames que trouxeram esperança. Com o resultado, os médicos concluíram que ele era doador compatível.

Josevan não pensou duas vezes. “Eu sou mecânico, trabalho com automóveis. Um carro, se eu não substituir a bomba de óleo, com certeza vai trancar o motor. Com rim é a mesma coisa. E a situação estava se agravando”, conta o irmão de Jacqueline.

No dia 1° de agosto de 2006, no Hospital Universitário Presidente Dutra, em São Luís, no Maranhão, o dia e o lugar que era para marcar o fim de um drama, deram início a outro.

Segundo os promotores que investigam o caso, a cirurgia era para ter durado entre 20 e 45 minutos, só que a operação demorou uma hora e seis minutos e não deu certo. O rim de Josevan foi retirado, mas não pôde ser implantado em Jacqueline.

Segundo o Ministério Público, os três médicos que participaram da operação afirmaram que, apesar dos exames feitos nos pacientes, só na hora da cirurgia descobriram que o rim do irmão não servia para resolver o problema da irmã.

Pode parecer estranho os médicos descobrirem, só na hora da cirurgia, que o órgão transplantado não serve. Na verdade, isso acontece com alguma frequência. “A cada 20 transplantes, um pode complicar no ato cirúrgico e não dar certo. O rim precisa ser retirado”, diz o diretor do Hospital do Rim e Hipertensão, de São Paulo, José Medina Pestana.

Josevan não pôde receber o rim de volta. “Se o rim foi implantado e foi rejeitado, ou não deu certa a cirurgia, ele não pode ser utilizado em outra pessoa”, explica Pestana.

Apesar das explicações dadas pelos cirurgiões, Jacqueline e Josevan queriam mais exames. O hospital entregou amostras do rim, que foram encaminhadas então ao laboratório da Polícia Técnica da Bahia. E veio a surpresa. De acordo com o laudo, as amostras entregues pelo hospital não era do rim de Josevan.

Uma contraprova foi feita no Instituto Nacional de Criminalística, em Brasília. Divulgado esta semana, o resultado é o mesmo: as amostras eram de outro rim. Assista a reportagem:


 

O Ministério Público pediu nesta semana a prisão dos médicos (reveja). “Ocorreu um transplante indevido que resultou na perda de um órgão por parte do doador. Nesse caso, a lei prevê que a pena é de reclusão de 4 a 12 anos”, explica o promotor de Justiça do Maranhão Herberth Figueiredo.

A responsável pela equipe de cirurgia do Hospital Universitário Presidente Dutra afirma que não tem responsabilidade sobre o destino do rim, a partir do momento que o órgão saiu do hospital.

“O que aconteceu com esse rim entre a família, a retirada é aqui, e apresentar a Justiça, a gente não tem como responder por isso”, diz a coordenadora do Serviço de Transplante Renal do Hospital Universitário, do Maranhão, Teresa Cristina Ferreira.

“Isso é um absurdo porque um rim não vende em comércio, não vende em supermercado. E onde que eu ia arrumar um rim?“, diz a paciente renal Jacqueline Ferreira.

Procurados pelo Fantástico, os médicos responsáveis pelo transplante, que não deu certo, Erivaldo Souza dos Santos, Maria Inês Gomes Oliveira e Leonildo de Sousa Coelho não retornaram as ligações. Giovana Parada Martins, que na época era coordenadora do setor de transplantes, não quis gravar entrevista, mas, em nota, a médica afirma que todos os exames para a cirurgia foram realizados e que a denúncia contra ela não tem funadamento.

Os irmãos estão processando o hospital e pedem R$ 1.200.000 de indenização. Jacqueline diz que não tem coragem de voltar para a fila do Cadastro Nacional de Transplantes e continua fazendo diálise. “Como eu vou confiar? Me sinto desamparada, injustiçada, tudo que você possa imaginar de ruim. É como eu me sinto”.

Vereadores e populares pedem Joaquim na Cultura

Na quinta-feira, após a solenidade em que apresentou no Plano Geral de Cargos e Carreiras do Poder Executivo (PGCE), a governadora Roseana Sarney (PMDB) recebeu um abaixo-assinado de centenas de atores e entidades culturais e uma indicação da Mesa-Direitora da Câmara de Vereadores de São Luís sugerindo o nome do secretário Joaquim Haickel (Esporte) para a Secretaria de Cultura.

Joaquim: boa opção na Cultura

“Manifesamos aqui nosso total apoio à grandeza do gesto político de vossa excelência, que pode em hora hábil chamar à frente da Pasta da Cultura um intelectual e imortal identificado com todos os segmentos da cultura e com as tradições de nosso povo, sempre dinãmico e aberto ao diálogo, inclusive na condição de experiente parlamentar”, diz o documento.

Segundo apurou o blog, já existe outro movimento nos meios culturais para indicar o cantor e compositor Sérgio Habibe também para Secretaria de Cultura.

Com certeza, são nomes muitos melhores que Kátia Bogéa, sondada pela governadora.

Veja abaixo a indicação feita pela Câmara de Vereadores:

Quid Novi: Guerreiros lutam pela PPP do Judiciário

Do blog Quid Novi, de Mino Pedrosa:

Os presidentes dos Tribunais de Justiça dos Estados do Maranhão e de São Paulo, desembargadores Antônio Guerreiro Junior e Ivan Sartori, se juntaram para traçar estratégia para a reta final de análise da PPP da Justiça pelo CNJ. Os magistrados resolveram mostrar que os problemas da Justiça nos Estados dependem principalmente de questões financeiras. E isto pode ser solucionado através de Parcerias Público-Privadas.

Presidentes Gerreiro Júnior e Ivan Sartori defendem PPP do Judiciário

Guerreiro Júnior, quando ainda era corregedor-geral da Justiça, fez consulta ao CNJ quanto à inclusão da Parceria Público-Privada no Judiciário. Ele garante serem técnicos os critérios que nortearam a referida consulta. O presidente do TJSP enviou documento à presidência do Conselho Nacional de Justiça, ratificando os termos do pedido inicial do corregedor.     “O TJSP tem interesse na aprovação da PPP para o Judiciário, acreditamos ser esta forma altamente eficaz para recuperá-lo”, assinalou Sartori no ofício ao CNJ.

Parceria Maranhão-São Paulo

Guerreiro Júnior e Sartori se encontraram na capital paulista para discutir estratégia conjunta para aprovação das PPPS na Justiça. “A iniciativa do TJSP tem peso muito forte no exame denso da matéria, e deve influenciar positivamente em ações idênticas de outros presidentes de TJs”, avalia Guerreiro Júnior.

Para o presidente do TJMA, a melhor tática é convencer o CNJ que a PPP não é uma aventura ou trará qualquer risco para a autonomia do Poder Judiciário, visto que caberá ao órgão a regulamentação da matéria, inclusive em obras e serviços.       “Eventuais críticos desconhecem o tema ou receberam informações distorcidas sobre como as parcerias serão viabilizadas”, comentou Guerreiro Junior.

O desembargador maranhense desafia quem tenha outra alternativa para enfrentar os problemas dos tribunais de justiça estaduais, sobretudo quanto à limitação orçamentária e demandas crescentes. Continue lendo aqui.

Morre ator que se enforcou na Paixão de Cristo

De O Globo:

Rio – O ator Tiago Klimeck, que sofreu enforcamento acidental há duas semanas, durante encenação da Paixão de Cristo, morreu na tarde deste domingo, aos 27 anos, segundo informou a Santa Casa de Misericórdia de Itapeva, onde ele estava internado em coma profundo há duas semanas. Familiares devem levar o corpo para ser velado e enterrado em Itararé, cidade natal do ator, município que fica a 345 km de distância de São Paulo.

Montagem sobre fotos de Sandro Azevedo mostra momento que Thiago Klimeck se enforca

Segundo a Guarda Municipal de Itararé, o acidente ocorreu por volta de 22h do dia 6 de abril. A corporação afirmou que as pessoas que estavam próximas demoraram um pouco para perceber que algo estava errado e que Thiago estava desacordado. Acharam que a cena estava realista e o rapaz trabalhava muito bem. A cena de enforcamento de Judas teria durado cerca de três minutos, de acordo com um dos atores da peça.

O professor Sandro Azevedo fotografava a peça para o site Virtual Guia e registrou a cena. Ele disse que a encenação era itinerante, e, quando os atores caminharam para outro lado da praça, as pessoas que ficaram perto de Thiago notaram que ele não se mexia. Pelo relato de Sandro, havia uma cadeirinha de rapel por baixo da roupa usada pelo ator, onde era amarrada a corda.

Quando se percebeu que o ator estava inconsciente, a Guarda Municipal foi chamada. Thiago foi socorrido pelos guardas e levado à Santa Casa da cidade, onde ficou na UTI. Na manhã de sábado, foi transferido para a Santa Casa de Itapeva.

- A informação que a eu tive é que ele (o ator) estava usando um colete de segurança, que estava apertado. Ele afrouxou o colete e na hora de pular, o colete subiu. O ator desmaiou – disse Luis Carlos Rosner, dono de uma barraca de lanches na praça onde foi feita a encenação.

De virada, Vasco vence e elimina o Flamengo

De O Globo:

Rio – O roteiro da semifinal da Taça Guanabara se repetiu: mais uma vez o Vasco sofreu um gol no início mas mostrou poder de reação, venceu o Flamengo por 3 a 2 e se classificou para a decisão da Taça Rio, no próximo domingo, contra o Botafogo. O veterano Felipe foi o principal nome da partida, com dois gols e participação em outro, marcado por Éder Luís em rebote do chute do camisa 6. Vágner Love e Kleberson fizeram os gols rubro-negros.

Diego Souza levanta Éder Luís, autor do segundo gol vascaíno

- A equipe criou inúmeras oportunidades. A vitória poderia até ter sido mais tranquila, mas clássico é assim mesmo – comemorou Felipe ao fim da partida.

Eliminado também da Libertadores, o Flamengo agora ficará um mês sem jogar, até a estreia no Campeonato Brasileiro, dia 20 de maio, contra o Sport, em Recife. A derrota aumenta a pressão sobre o técnico Joel Santana e sobre o camisa 10 Ronaldinho Gaúcho, que teve atuação discreta.

- Tínhamos esse jogo para tentar salvar o meio da temporada. Era muito importante. Começamos bem, mas tomamos a virada, agora é tentar entrar no Brasileiro bem – resumiu o atacante Deivid.

Primeiro tempo eletrizante   Três gols e pelo menos outras 15 chances claras para os dois lados. Este é o resumo de um primeiro tempo eletrizante no Engenhão. O primeiro lado a comemorar foi o rubro-negro. Logo aos dois minutos, Vágner Love recebeu de Kleberson, dominou no peito e chutou no canto esquerdo de Fernando Prass: 1 a 0 Flamengo e fim do jejum de três jogos sem gol do atacante.

Começou, então, uma impressionante blitz vascaína na área adversária. Já no primeiro ataque, Éder Luís tocou por baixo de Felipe mas Júnior César conseguir salvar em cima da linha. Antes dos dez minutos, o Vasco já tinha tido outras três chances, com Fellipe Bastos, Rodolfo e Renato Silva, em cabeçada na trave.

Ronaldinho Gaúcho entrou pressionado pela torcida do Flamengo. Fotos: Ivo Gonzalez/ O Globo

Melhor na partida, o time de São Januário empatou aos 12: Felipe bateu de fora da área, o goleiro rubro-negro deu rebote e Éder Luís mandou para o gol, na pequena área. O Vasco continuou rondando a meta rubro-negra e levando perigo para Felipe, como em chute de Diego Souza que o goleiro dessa vez espalmou para escanteio, aos 19. Continue lendo aqui.

Charge eletrônica: Metal Open Air

Do site Quase Sexta:

Lamparina Produções acusa parceiro paulista de ‘boicote’ ao Metal Open Air

A produtora maranhensse lamaparina Produções culpou a parceira paulista Negri Concerts os problemas no Metal Open Air, cancelado nete domingo. Segundo a empresa maranhense, partiu da parceira a orientação para as bandas não se apresentarem.

O proprietário da Lamparina Produções, Natanael Júnior, afirma nunca ter havido agressão ou sequestro de Felipe negri, da Negri Concerts.

“Em nenhum momento isso aconteceu. Ele se recusou a colocar as bandas da noite de sábado, apesar de pagas. Além disso, quis retirar sua equipe técnica e se evadir do local. Foi sim exigida a sua presença e da respectiva equipe para a continuidade e segurança dos shows, em respeito ao público presente “, diz . Leia a íntegra da nota.

NOTA

A Lamparina Produções, relativamente ao cancelamento do terceiro dia do evento M.O.A., tem  a esclarecer o seguinte:

A Lamparina Produções lamenta profundamente e anuncia o cancelamento do terceiro dia de shows do Metal Open Air. No entanto,  afirma que os problemas causadores da interrupção do evento não são somente de sua responsabilidade.

As bandas todas – salvo as que cancelaram antecipadamentee cujo cancelamento foi anunciado – estavam em São Luís; aquelas que deixaram de fazer o show o fizeram por iniciativa própria, apesar de terem recebido todas as condições exigidas, tais como som, iluminação, palco back line e camarins.

Cabia à Negri Concerts o contato, a contratação e a efetivação do pagamento de todas as bandas internacionais, exceto o Rock’n Roll All Stars.

À Lamparina, no entanto cabia arcar financeiramente com essas contratações, que foi feito e pode ser comprovado através de documentos. Em relação à atração Rock’n Roll All Stars, seu cancelamento se deu em razão de divergências contratuais, como, por exemplo, a não vinda do ator Charlie Sheen e adicionais de custos não previstos em contrato.

Frize-se: as bandas estão pagas! As condições técnicas para a realização do evento foram todas disponibilizadas. As alegações de falta de segurança são falsas. Registre-se que o comportamento do público foi exemplar. Não houve, em qualquer momento, qualquer tipo de ameaça oriunda da plateia.

Como se disse, todos os contatos com as bandas eram por parte da Negri Concerts. Os representantes da Negri é que ordenaram ou orientaram as bandas a não realizar os shows. Todo o clima de terror que foi instaurado entre as bandas e os técnicos foi causado pela Negri, de onde partiu a ordem de não tocar.

Sobre a suposta agressão ao Sr. Felipe Negri, em nenhum momento isso aconteceu. Ele se recusou a colocar as bandas da noite de sábado, apesar de pagas. Além disso, quis retirar sua equipe técnica e se evadir do local. Foi sim exigida a sua presença e da respectiva equipe para a continuidade e segurança dos shows, em respeito ao público presente.

São Luís, 22 de abril de 2012
Lamparina Produções