Empresário diz que assessores do TJ também prometeram mudar decisão de Câmara Cível

O empresário Savigny Sauaia afimrou ontem em entrevista após seu depoimento que os assessores do Tribunal de Justiça Marco Túlio Dominici e Francisco Reginaldo Duarte Barros, além do “sumiço” do processo, prometerem reverter decisão da segunda Câmara Cível que anulou sentença de primeira instância em favor de sua mãe, Temis Serejo Sauáia. O caso trata de partilha de bens da família.

Empresário Savigny Sauaia. Foto: Reprodução TV Mirante

A segunda Câmara Cível é formada pelos desembargadores Raimundo Cutrim, que foi relator do processo, Nelma Sarney (revisora) e Marcelo Carvalho (vogal). Reginaldo era assessor de Cutrim. No entanto, a própria polícia não acredita na participação dos desembargadores na história. Como Cutrim vai se aposentar no próximo mês, o assessor poderia estar querendo ganhar vantagem antes de deixar o cargo.

“O processo foi favorável a minha mãe (na primeira instãncia). Tínhamos a tranquilidade que quando subisse para o tribunal não mudaria. Primeiro eles me procuraram pedindo R$ 40 mil para manter a situação. Eu não aceitei e eles disseram que a outra parte daria um valor, que não sei qual foi. O processo foi julgado contra minha mãe. A partir daí começaram a me procurar fazendo propostas para reverter a situação. Chegaram a me cobrar R$ 500 mil”, disse Savigny que também é professor universitário.

Os assessores foram presos com cerca de R$ 400 mil – R$ 350 mil em dinheiro e o restante em jóias – e o processo original sobre o caso. Os autos estavam no setor de distribuição das Câmaras Cíveis, de onde teria sido levado.

Reginaldo, mais conhecido por Regis, já foi denunciado no tribunal por manipulação de processo alguns anos atrás. Na época, ele era coordenador justamente da distribuição das Câmaras Cíveis. A denúncia contra ele foi feita pelo desembargador Stélio Muniz. Foi aberto um processo administrativo, mas o acusado acabou absolvido.

Ele e Marco Túlio, também presidente da Associação dos Criadores do Maranhão (Ascem), serão demitidos ainda hoje. O presidente do Tribunal de Justiça, Guerreiro Júnior, que estava ontem em Braília e chega no início da tarde a São Luís, já marcou coletiva para as 17h junto com o secretário Aluísio Mendes (Segurança) com objetivo de anunciar a medida.

Ainda não foi confirmada a participação do corregedor Cleones Cunha, a quem caberia apurar as denúncias. O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) abrirá procedimento para apurar o caso. A assessoria do corregedor esclareceu que ele está em um evento em Foz do Iguaçu (PR) e que o caso, por envolver funcionários do tribunal, é de competência da presidência. A Corregedoria só trata de questões relativas ao primeiro grau.

Os assessores foram soltos de madrugada pelo juiz de plantão Ferreria Neto após pagarem fiança de R$ 6,2 mil cada e passarem apenas três horas numa cela especial na sede do Corpo de Bombeiros.

A OAB do Maranhão divulgou nota dizendo que os advogados estão impedidos de exercer a advocacia. Segundo a nota, Marco Túlio  está suspenso dos quadros da instituição desde julho de 2008. Já Reginaldo não pode advogar por ser funcionário do tribunal.

Dirigente da Associação dos Criadores esperam que Marco Túlio peça licença da presidência até o caso ser totalmente esclarecido.

Veja a entrevista de Savigny a TV Mirante:


Assessores do TJ acusados de extorsão já foram soltos

Foram soltos na madrugada desta sexta-feira os advogados e assessores do Tribunal de Justiça Marco Túlio Cavalcante Dominici, Francisco Reginaldo Duarte Barros, presos ontem à tarde tentando extorquir R$ 800 mil do empresáraio Savigny Sauaia.

Marco Túlio e Reginaldo presos por concussão

Eles pagaram cerca de R$ 6 ml de fiança e foram liberados pelo juiz de plantão do Fórum da capital. Os assessores estavam com o processo original que trata do espólio da família Sauaia.

O processo foi julgado mês passado desfavorável a Savigny pela segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça formada pelos desembargadores Raimundo Cutrim (relator), Nelma Sarney (revisora) e Marcelo Carvalho. Cutrim era o relator do caso. Reinaldo era asessor dele e Marco Túlio da presidência. Até hoje a decisão não foi publicada no site do tribunal.

Marco Túlio é também presidente da Associação dos Criadores do Maranhão (Ascem), entidade que organiza a Expoema. Francisco Reginaldo Barros, mais conhecido por Regis, já foi denunciado no tribunal por manipulação de processo alguns anos atrás.

Na época ele era coordenador da distribuição. A denúncia contra ele foi feita pelo desembargador Stélio Muniz. Foi aberto um processo administrativo e Regis foi absolvido das acusações.

Segundo o superitendente da Seic (Superintendência Estadual de Investigação Criminal), delegado Augusto Barros, os assessores cobraram R$ 800 mil do empresário para fornecer os autos. Com o processo, Savigny faria o que quisesse, inclusive poderia tocar fogo. O objetivo era dificultar o cumprimento da sentença contra o empresário.

De acordo com o delegado não há, em princípio, participação de desembargadores no esquema. Na verdade, são dois assessores querendo levar vantagens por conta do acesso a processos.

Até agora o Tribunal de Justiça não se posicionou oficialmente sobre o caso.

Assessores foram presos com processo original julgado mês passado pelo TJ

Em entrevista coletiva realizada na noite desta quinta-feira, o delegado Augusto Barros disse que o presidente da Associação dos Criadores do Maranhão e advogado, Marco Túlio Cavalcante Dominici, e o também advogado Francisco Reginaldo Duarte Barros foram presos com o processo original sobre o espólio da família Sauaia julgado mês passado no Tribunal de Justiça.

Delegado Augusto Barros mostra dinheiro apreendido com advogados

Marco Túlio e Reginaldo Duarte, ambos assessores do tribunal, foram denunciados pelo empresário Savigny Sauaia.

O empresário queria reverter decisão da Segunda Câmara Cível do TJ sobre partilha de bens da família. A decisão ainda não foi publicada no site do TJMA.

Eles foram presos num sítio Marco Túlio no Angelim. No momento da prisão, Savigny chegou a pagar R$ 400 mil referentes a primeira parcela da propina de R$ 800 mil.

Empresario Savigny Sauaia

Os advogados foram presos após darem o original dos autos ao empresário e guardarem os R$ 400 mil dentro de uma caminhonete. A ação foi gravada e filmada pela polícia.

“Eles pediram os R$ 800 mil para dar a cópia original do processo e aí o Savigny faria o que quisesse – podia até tocar fogo. O processo está ao aqui na delegacia”, disse Augusto Barros, chefe da Seic (Superintendência Estadual de Investigação Criminal).

O delegado contou que os advogados foram indiciados pelo crime de concussão, que é exigência de vantagens por parte de funcionário público.

Depois da prisão Marco Túlio e Reginaldo Duarte, choveu de membros da OAB na Seic reivindicando as chamadas “prerrogativas” dos advogados.

No entanto, nenhum membro da Comissão de Ética foi visto no local.

Advogados queriam R$ 800 mil para ‘desaparecer’ com processo de dentro do TJMA

(19h45) – O presidente da Associação dos Criadores do Maranhão e advogado, Marco Túlio Cavalcante Dominici, e o colega da OAB Francisco Reginaldo Duarte Barros foram presos pela polícia nesta quinta-feira acusados de tentarem extorquir em R$ 800 mil o empresário Savigny Sauaia.

Francisco Duarte e Marco Túlio Dominici

Savigny denunciou a extorsão e a polícia preparou o bote. Marco Túlio e Reginaldo Duarte foram filmados e gravados por uma equipe da Seic (Secretaria Estadual de Investigação Criminal). Foram presos em flagrante com R$ 400 mil, primeira parte do pagamento.

Na verdade, eles não estavam vendendo sentença. Pediram o dinheiro para “desaparecer” com um processo referente ao espólio da família Sauaia de dentro do Tribunal de Justiça. As suspeitas da polícia é que já vinham fazendo isso há um bom tempo.

Muito afável e educado, Marco Túlio é assessor da presidência do TJ desde a gestão Raimundo Cutrim, passando por Jamil Gedeon e permanecendo na atual de Guerreiro Júnior.

Ele é natural de São João Batista e é sobrinho do ex-secretário João Dominici (Infraestrutura), que ficou conhecido por causa do escândalo das “estradas fantasmas” na gestão do parente José Reinaldo Tavares (2002 a 2006).

Muita gente no meio judicial já está se movimentando para soltar os dois advogados, o que mostra a grande influência deles.

Mas o blog estará atento e trará todos os detalhes de possíveis habeas corpus. Vamos passar a noite de olhos bem abertos!

Assessor do TJ é preso tentando extorquir R$ 800 mil de empresário

(16h40) – A polícia prendeu agora há pouco dois advogados acusados de tentativa de extorsão de um empresário cuja empresa teve decisões desfavoráveis no Tribunal de Justiça. Eles estariam pedindo R$ 800 mil para “resolver” o caso.

Marco Túlio Dominici

Os advogados presos são Marco Túlio Cavalcante Dominici, assessor da presidência Tribunal de Justiça do Maranhão há seis anos e presidente da Associação dos Criadores do Maranhão (Ascem), e Francisco Reginaldo Duarte Barros.

Eles estão prestando depoimento na Seic (Superintendência Estadual de Investigações Criminais) para onde foram levados presos.

O empresário Savigny Sauaia procurou a polícia para denunciar a tentativa de extorsão. Os advogados foram filmados e gravados. Ele pediram R$ 800 mil para resolver o problema judicial.

Foram presos em flagrante inclusive com a primeira parcela do pagamento no valor de R$ 400 mil e cópia da decisão que teriam de mudar.

Cabe a agora  também a leniente OAB do Maranhão tomar providências.

Daqui a pouco mais informações.

Nota: Post atualizado às 17h10 e 17h50.

Políticos do Maranhão são presos pela polícia do PI

Uma operação da Delegacia Especializada em Combate ao Roubo de Veículos (Polinter) do Piauí, feita no Maranhão, prendeu políticos e secretários de prefeituras do interior do estado.

Delegado Bareta, da Polinter do PI, comandou operação

Na Operação Leviatã foram presos o vereador de Governador Archer, João Luís Pereira Lima, que estava com um EcoSport; o secretário de Limpeza Púlblica de Santo Antônio dos Lopes, Ebiezer Oliveira Silva, vulgo Borrego, em cujo poder estava um Ford Ka; e o secretário de Finanças deste mesmo município, Alaésio Leal, que usava um Prisma. Eles foram autuados por receptação qualificada e formação de quadrilha.

Segundo o delegado Francisco das Chagas Costa, o Bareta, titular da Polinter, os veículos foram roubados em Teresina nos últimos seis meses e seriam repassados aos receptadores por um valor muito abaixo do mercado, cerca de R$ 3 mil.

Os acusados de levar os carros para o Maranhão foram identificados como Nadjackson Carvalho e um homem conhecido como César Pipoca. Eles já teriam vendido cerca de 25 carros, a maioria no Maranhão.

Suspeita de canibalismo diz que comia fígado de vítimas e fazia salgadinho de carne humana

Da Folha.com:

São Paulo – Um vídeo gravado mostra Isabel Cristina da Silva, uma das acusadas de matar, esquartejar e comer ao menos cinco pessoas em Pernambuco, descrevendo como fazia os assassinatos e o preparo de salgadinhos de carne humana.

Isabel revela que eles comeram 10 kg de carne humana entre três e cinco dias. “Bruna faz dieta, mas quando ela come carne como mesmo. Agora, eu já gosto mais de arroz e não como muita carne. Essa carne só durou pouco por causa da Bruna e da menina porque elas gostam muito de carne. A menina não sabia, ela pensava que era carne comum”.

“Eu não comi muito a carne porque não sou de comer muito. Eu comi o fígado e alguns pedaços do corpo, mas não comi o coração”, diz Izabel.

Isabel é casada com Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, 51. O casal vivia com a amante dele, Bruna Cristina Oliveira da Silva, 25. Os três são suspeitos de matar, esquartejar e comer pedaços dos corpos de pelo menos três mulheres nas cidades de Olinda e Garanhuns.



Leia também:
Suspeito diz que é ‘esquizofrênico desde jovem’
Suspeito de matar e comer carne humana diz que cumpria ‘missão’
Polícia diz que suspeitos faziam salgados com carne humana em PE
Suspeitos de canibalismo podem ter feito mais oito vítimas em PE

Uma menina de 5 anos morava com eles. A polícia diz que ela é filha de Jéssica, morta por eles em 2008, em Olinda, quando tinha 17 anos.Pedaços dos corpos das mulheres assassinadas por membros de uma seita em Garanhuns (234 km de Recife) eram utilizados para rechear salgados vendidos por uma das suspeitas, diz a Polícia Civil.

De acordo com o comissário da Delegacia de Garanhuns, Demócrito de Oliveira, a comerciante ambulante Isabel Cristina Oliveira da Silva, 51, confessou em seu depoimento que fazia e vendia pastéis e empadas nas ruas da cidade com se fossem salgados de carne bovina.

A morte de Jéssica é contada em detalhes no livro “Revelações de um esquizofrênico”, escrito por Jorge em 2009 e registrado em cartório em 28 de março deste ano. No livro, a amante de Jorge, Bruna, aparece com o nome de Jéssica, porque usava a identidade da vítima.

“Ao olhar para o corpo já sem vida da adolescente do mal, sinto um alívio. Pego uma lâmina e começo a retirar toda a sua pele, e logo depois a divido. Eu, Bel e Jéssica nos alimentamos com a carne do mal, como se fosse um ritual de purificação, e o resto eu enterro no nosso quintal”, diz um trecho.

Em entrevista à TV Jornal, de Pernambuco, Jorge Negromonte da Silveira, 51, admitiu ter matado as três vítimas, mas se recusou a chamar a atitude de assassinato. “Eu digo que foi missão porque nenhuma folha cai sem a permissão do grande Deus. Todas essas pessoas estão purificadas. Todas estão com Deus e purificadas”, disse Silveira, atrás das grades.

Ele disse à TV que as vítimas eram escolhidas por dois seres que ele chamou de arcanjo e querubim. “Nessas duas últimas missões, quem me ajudou foram as duas pessoas, duas crianças ainda, um branco e um negro, que desde cedo estão na minha vida e que passam todas essas informações para mim”.

Jorge afirmou não ter religião e disse que comia a carne das vítimas para completar o ritual de purificação. De acordo com ele, sua mulher, Isabel Cristina Torreão Pires da Silveira, 51, era quem atraía as vítimas. “Ela começava a mostrar filmes bons. No momento, a pessoa ia melhorando.

Depois que conversava, a gente via que a hora tava certa pelas quantidades de palavras boas e palavras ruins que ela falava”.

O suspeito de matar as mulheres disse não recordar o que usava para esquartejá-las, mas afirmou que não havia tortura. “Ela [a vítima], antes [de ser morta], chorava e falava alguma coisa, e eu dizia: seus pecados estão perdoados”.

Polícia acaba quadrilha que roubou BB de Carolina

Em confronto com a polícia neste sábado, os últimos dois envolvidos no assalto à agência do Banco do Brasil de Carolina, ocorrida no final do mês passado, foram mortos. Os assaltantes estavam escondidos no Povoado Taboaquinha, na divisa do Maranhão com o estado do Tocantins. Os dois reagiram à ação da policia e levaram a pior.

Armas que estavam com os útlimos dois foragidos do assalto ao BB de Carolina

Um dos mortos é o paraense Miguel Domingos Souza, procurado por assaltos a bancos em quatro estados. O outro morto, de nome ainda não divulgado, já estava baleado no ombro de um confronto anterior com o GTA (Grupo Tático Aéreo). Na fazenda onde estavam escondidos, eles mantinham uma família refém há dois dias.

Com eles foram encontradas várias armas: um fuzil M16, uma ecopeta 12, um revólver calibre 32 e uma .40 um e mais R$ 145,1 mil - a polícia já havia recuperado R$ 344,6 mil. Desde o dia do assalto a polícia mantinha cerca de 50 homens na região.

O assalto

O assalto à agência aconteceu no último dia 30. Os bandidos chegaram em uma caminhonete S10 prata. Alguns integrantes do grupo invadiram o banco, e outros ficaram do lado de fora. Também houve troca de tiros com a polícia. Um dos assaltantes morreu.

O bando levou vários reféns, liberados posteriormente. Eles fugiram em direção ao Tocantins e incendiaram a S-10 na estrada tomando de assalto outro carro.

Na semana passada outra parte da quadrilha foi localizada por policiais do GTA (Grupo Tático Aéreo), mas conseguiu fugir abandonando R$ 344,6 mil. Na ocasião, o assaltante morto hoje foi baleado no ombro.

A ação mostra porque a polícia maranhense vem dando exemplo no país no combate aos assaltos a bancos. Várias secretarias de segurança do país estão pedindo apoio ao Maranhão para combater este tipo de crime.

Morte de Fábio Brasil ainda vai dar muito o que falar

Ainda vai dar muito o que falar o assassinato de Fábio dos Santos Brasil Filho, 33 anos, executado com três tiros de pistola PT 380 em frente a uma concessionária de veículos em Teresina, no sábado (31).

Segundo a imprensa piauiense, Fábio Brasil, que devia vários agiotas no Maranhão, havia prestado depoimento à Polícia Federal uma semana antes de sua morte. Ele teria enregue muita gente envolvida com negócios nebulosos com prefeituras do Maranhão e Piauí.

Fábio Brasil foi executado com três tiros sábado passado em Teresina. Depoimentos já começaram

Devido às muitas ligações da vítima com o submundo do crime, o caso foi transferido para a Comissão Investigadora do Crime Organizado (Cico). A polícia piauiense já pediu apoio ao secretário Aluísio Mendes (Segurança) na apuração do assassinato.

Nos bastidores da Polícia Civil do Piauí especula-se sobre os fatos já descobertos como sendo a “ponta de um iceberg” no que diz respeito à prática de crime organizado.

O delegado piauiense Wilon Gomes disse que algumas pessoas já foram ouvidas, como o dono da loja onde Fábio Brasil estava estacionado em frente no momento da execução, e a viúva da vítima.

“Este crime é mais um destes complexos que exigem melhor atenção. Uma delegacia como a Cico, para onde o inquérito foi transferido, tem mais condições para trabalhar”, explicou.

O delegado contou também que a vítima era hacker, foi acusado de desviar dinheiro de contas de terceiros e já foi preso por envolvimento com crimes de fraudes no sistema financeiro.

(Com informações do Portal AZ).

Filho de procurador explica condução à delegacia

O filho do procurador Raimundo Nonato Carvalho, Bernardo Carvalho, o Bereco, encaminhou nota esclarecendo sua condução algemado à Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos na terça-feira (3), conforme noticiado pelo blog (reveja). Ele diz que sua detenção ocorreu por conta de uma “falsa denúncia” feita à polícia pelo ex-amigo Alexandre França, que o acusa de ter roubado seu carro. Bereco confirma estar de posse do Golf de Alexandre como garantia do pagamento de uma dívida, mas nega ter tomado o veículo de assalto. Leia:

Abaixo consta um breve relato acerca dos fatos realmente ocorridos entre Bernardo Carvalho e Alexandre França.

Ocorre o seguinte: Bernardo e Alexandre eram amigos, e ante a esta relação de amizade houve um empréstimo no valor de R$ 10 mil, bem como, posteriormente de quatro cheques, cada um no valor de R$ 5 mil – referentes à conta corrente da empresa SB Rodrigues da Motta Comércio, da Sra. Silvia da Motta de Carvalho, esposa de Bernardo – para Alexandre França, no entanto o empréstimo dos cheques ficou condicionado a não compensação dos mesmos, pois Alexandre afirmara que com os cheques, conseguiria o dinheiro com seu tio Júlio França, e que os resgataria antes da compensação, o que não ocorreu.

Passado o período acordado para pagamento dos R$ 10 mil, Alexandre não efetuou o pagamento nem tampouco devolveu os cheques. Sendo insistentemente procurado por Bernardo, esquivava-se do pagamento e da devolução dos cheques.

Em consulta a conta corrente de sua empresa, a esposa de Bernardo, surpreendeu-se quando verificou a compensação do cheque nº 850005 (anexo),  sacado pela Mineradora São Luis; diante de tal fato recorreu à Delegacia de Policia do Vinhais, e através do Boletim de Ocorrência nº  851/2012, registrado no dia 07/02/2012 queixou-se.

Após o registro de ocorrência policial entrou em contato com Alexandre, o qual alegou temer a possível investigação policial, no momento comprometendo-se em resgatar os outros três cheques – o que até o momento não ocorreu – e pagar a dívida na sua integralidade, no entanto como disse não ter condições financeiras de arcar com tal valor naquele momento, propôs a Bernardo que o mesmo ficasse com o veículo Golf, placa NWZ-5414, alienado ao Banco BV Financeira, em nome de Sara Cristina Brenha dos S. Alves, o que fora aceito por Bernardo Carvalho.

Ocorre, que no dia 14 de março deste ano, fora surpreendido com notícia veiculada no blog do jornalista Caio Hostilio, o vinculando como agente de crimes capitulados nos artigos 157, 129 e 147 do Código Penal, e ainda com um Boletim de Ocorrência anexo.

Após este incidente, houve matéria veiculada no Blog Decio Sá, onde o mesmo fora procurado pelo jornalista, concedendo assim sua versão. No entanto, o que realmente causou grandes danos a Bernardo, fora o acontecido na manhã de 3 de abril, quando o Alexandre França, arquitetou uma falsa denúncia através do 190 Ciops (Centro Integrado de Operações de Segurança), em uma ligação às 9h2h, que gerou a Ocorrência Interna nº 2653108, deslocando assim a viatura da Policia Militar FT 0937, sob o comando do Sargento PM Ozama  e Soldado PM França, para o estacionamento do Banco do Brasil da Cohama, onde se encontrava Bernardo Carvalho, o qual fora conduzido para Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos.

No entanto, em lá chegando, o delagado Paulo Hertel, por não haver prova alguma, tampouco bloqueio de roubo, ou restrição alguma ao veículo, e por não ter nenhum procedimento policial aberto contra Bernardo Carvalho, o dispensou. (documentos anexos: certidão negativa de procedimento penal e nada consta do veículo).

Acontece que Alexandre não porta nem sequer uma procuração da Sra. Sara Cristina Brenha dos S. Alves, conforme afirmou ao delegado da Depol de Roubos e Furtos de Veículos, ou seja, não tem legitimidade alguma para pleitear qualquer direito sobre este veículo. Ademais, o veículo em questão encontra-se em atraso junto à BV Financeira, conforme prova documento anexo.

Assim, como se não bastasse toda a história fantasiosa criada por Alexandre França, os cheques continuam sendo depositados pela Mineradora São Luis, conforme demonstra a cópia do extrato bancário e as microfilmagens dos cheques, somente, não estão sendo compensados pelo fato de haver contra-ordem com ocorrência policial.

Diante de todo o exposto, Bernardo Carvalho constituiu advogados, os quais já estão trabalhando, no sentido de tomar todas as medidas judiciais cabíveis, para o elucidar o caso, bem como repará-lo civil e criminalmente.”

Eliseu Moura é acusado de mandar matar adversários

A presidente da Câmara de Vereadores de Pirapemas, Elda Novaes (PTN), o vereador Henrique Correa (PV), e o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, Gilmar Sales Ribeiro, prestaram queixa na polícia e Ministério Público acusando o prefeito Eliseu Moura (PMDB) de tentativa de assassinato.

Elda, Henrique e Gilmar poderiam não estar contando hoje essa história

O crime foi descoberto pelas próprias vítimas na sexta-feira (30). Eles receberam a informação de uma testemunha cujo nome é mantido em sigilo, mas de conhecimento da polícia.

Um pistoleiro chegou em Pirapemas na sexta-feira para executar o crime. O nome dele é Raimundo de Sousa Santos, natural de Buriticupu. Na cidade, o matador estaria recebendo apoio logístico de Edilson da Milagres, segurança do prefeito.

Avisados, os três passaram o dia em casa de amigos e deixaram Pirapemas no sábado. Hoje prestaram queixa na Superintendência de Polícia Civil do Interior e na Procuradoria Geral de Justiça, onde denunciaram o caso ao procurador-geral substituto Eduardo Jorge Nicolau. “Ele (Eliseu Moura) ia executar a gente”, disse a presidente da Câmara que esteve pela manhã na Assembleia para denunciar o caso.

Ela contou ao blog que em 1996 o marido, Paulo Novaes, então candidato a prefeito, também sofreu tentativa de assassinato. Na época, Eliseu Moura figurou como mandante.

Henrique Correa contou que o prefeito tem um histórico de violência. Em 1999, ele, o falecido jornalista Cícero Alves e o militante do PDT Ivanildo foram vítimas de uma emboscada dentro da Rádio Catedral, de propriedade da Igreja Católica.

O próprio Eliseu Moura invadiu a emissora e deu seis tiros no grupo. Dois atingiram o vereador e um Ivanildo, que até hoje tem uma bala no corpo até hoje.

Eliseu Moura foi afastado ano passado da prefeitura pela Câmara acusado de atos de corrupção. Recentemente, a Casa vetou um projeto da prefeitura para a contratação de 352 professores, enquanto centenas aprovados em um concurso na área de educação esperam suas nomeações. Veja a ocorrência prestada pelo vereador:

Filho de procurador é conduzido algemado a delegacia

O filho do ex-procurador-geral de Justiça Raimundo Nonato de Carvalho, Bernardo de Carvalho, o Bereco, foi conduzido coercitivamente nesta terça-feira (3) a Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos.

Bereco vinha se recusando a comparecer à polícia, onde é acusado pelo ex-amigo Alexandre Luis França de roubo qualificado e lesão corporal dolosa.

Hoje os dois se encontraram no Banco do Brasil da Cohama pela manhã. Bereco teria se exaltado com Alexandre, que chamou a polícia. Por conta disso, ele foi conduzido algemado à delegacia.

Segundo o delegado Paulo Hertel (Furto e Roubo de Veículos), o depoente foi levado pela PM mas será liberado. “Isso é uma briga entre eles (que não deve ser resolvida nesta delegacia)”, disse o delegado.

O filho do procurador tem um negócio mal resolvido com Alexandre, sobrinho do secretário municipal Júlio França (Agricultura) e dono da mineradora Prisma. Ele acusa o ex-amigo de tomar de assalto seu Golf mês passado para pagamento de uma dívida de R$ 10 mil.

No dia 4 de março, um domingo, Alexandre teve seu carro tomado de assalto por Bereco com ajuda de capangas, possivelmente policiais, na Lagoa da Jansen. De acordo com a versão de Alexandre, Bereco afirmou o seguinte durante a abordagem: “Eu não te disse, vagabundo, que tu me pagavas?!”, disse aplicando-lhe um tapa em seguida.

A suposta vítima acusa Bereco de agiotagem e diz já ter pago R$ 18 mil da dívida. Já o filho do procurador confirma a dívida, mas alega que posteriormente emprestou mais quatro cheques de R$ 5 mil ao ex-amigo.

“Esse rapaz, infelizmente, foi meu amigo e vive dando golpes na cidade. Como é que eu sou agiota se ele é que está com meus cheques? Onde existe lógica nisso? Ele é que é agiota e vive de trambicagens. Ele é que é bandido”, justificou Bereco ao blog (reveja).

Polícia recupera dinheiro de assalto em Carolina

(19h15) – Policiais do GTA (Grupo Tático Aéreo) conseguiram recuperar no início da noite deste sábado o dinheiro roubado ontem do Banco do Brasil de Carolina. Os bandidos estavam escondidos num matagal quando foram avistados pelos policiais a bordo do helicóptero Águia 1.

Agência assaltada. Detalhe, caminhonete queimada pelos bandidos. Fotos: O Estado

Houve troca de tiros. Os ladrões fugiram e abandonaram o dinheiro. O valor recuperado foi de R$ 344,6 mil. O helicóptero levou o dinheiro para Carolina e vai constinuar as buscas aos bandidos.

Parte da quadrilha está cercada por cerca de cem policiais na região. Um bandido foi morto ainda na fuga do banco quando trocou tiros com a polícia e três, que davam apoio ao bando na cidade, presos. Todo trabalho de caça aos marginais é coordenado pelo próprio secretário de Segurança, Aluísio Mendes.

O assalto aconteceu por volta das 10h30 desta sexta-feira. Seis homens chegaram no município (distante 847 km de São Luís) em duas caminhonetes, renderem clientes e funcionários e fugiram levando reféns, entre eles o gerente do banco, abandonados posteriormente.

A polícia surpreendeu a quadrilha na saída do banco. Houve tiroteio e um dos assaltantes foi morto. Na fuga em direção ao Tocantins, eles incendiaram na BR-010, uma das caminhoetes usadas no assalto.

Homem que devia agiotas no Maranhão é executado em Teresina

Um homem foi assassinado na manhã deste sábado (31), por volta das 8h30, em frente a uma loja de som de carros na avenida Miguel Rosa. Segundo a polícia, a vítima foi identificada como Fábio dos Santos Brasil Filho, 33 anos, mais conhecido como “Fábio Brasil”. Ele teria dívidas com vários agiotas do Maranhão.

Júnior Brasil , que devia vários agiotas no Maranhão, foi morto com três tiros

“As características são de execução. Segundo o que apuramos até agora, ele estava sendo seguido e ao parar em frente à loja, uma moto com dois homens parou ao lado e efetuaram vários disparos contra o Júnior Brasil”, afirmou o coronel Fernandes Albuquerque, comandante da companhia metropolitana de policiamento.

De acordo com testemunhas, a vítima conduzia um veículo de modelo Saveiro Cross, na cor branca, quando foi interceptado pela motocicleta dos bandidos. Um deles desceu do veículo e efetuou os disparou, e logo após fugiu em um carro, de modelo Golf, na cor preta. “Fábio Brasil”, que era corretor de veículos em Teresina, foi morto com três tiros na cabeça.

A vítima foi atingida na cabeça, e morreu instantaneamente. Em seguida, o atirador fugiu a pé, entrando na Rua Murilo Braga, onde entrou novamente no carro preto e evadiu-se. Informações não confirmadas dão conta de que uma motocicleta também teria dado suporte à ação. Familiares da vítima compareceram ao local, e ficaram muito abalados.

O comandante de policiamento urbano da área do 1º Batalhão, Tenente Juracy Félix, foi um dos primeiros a chegar ao local do crime. “Todo o efetivo do 1º Batalhão está empenhado na busca dos suspeitos. Estamos nas ruas efetuando as diligências. As evidências indicam que foi algo planejado”, disse ele. A PM isolou a área, que ficou tomada por curiosos. A Strans precisou redirecionar o tráfego de veículos no sentido sul-centro, e o sentido oposto da Miguel Rosa ficou bastante congestionado.

(Com informações do Meio Norte.com).

Nayrinha deve ser solta neste domingo

Após 10 dias presa a estudante Nayra Veloso, a Nayrinha, deve deixar a Penitenciária Feminina de Teresina (PI) na manhã deste domingo (25). A informação é da diretora do presídio, Geracina Olímpio.

Nayrinha era amiga de Fernanda Lages

Termina neste domingo a prisão temporária da estudante, determinada pelo juiz Antônio Noleto, da 1ª Vara do Tribunal do Júri. Nayra está presa acusada de omitir informações em seus depoimentos sobre a morte da estudante Fernanda Lages, ocorrida em agosto de 2011.

A diretora também confirmou que até o fim da tarde deste sábado (24) não chegou ao presídio nenhuma ordem judicial que impeça a liberação de Nayrinha. “No mandado de prisão do juiz, ele não colocou nenhuma medida restritiva quanto à saída de Nayra da cidade. Todo mundo sabe que a mãe dela mora lá e por isso não terão dificuldade de encontrá-la”, disse o advogado Ronaldo Ribeiro.

Neste domingo completam exatamente sete meses da morte de Fernanda sem que nenhum suspeito tenha sido encontrado. A  Polícia Federal devolveu à família da vítima o carro da estudante, um Fiat Uno preto, deixado na porta do Ministério Público Federal no dia que ela foi encontrada morta.

Peritos do Ministério Público Federal de Brasília concluíram que Fernanda foi morta e não cometeu suicídio, conforme a primeira versão divulga pela Polícia Civil do Piauí. A conclusão é do perito Antônio Jorge Lunarde e sua equipe.

A PF investiga um suposto elo entre Nayra e deputados estaduais maranhenses frequentadores de “festinhas” com prostitutas de luxo em Teresina.

(Com informações do cidadeverde.com e GP1).