Pistoleiros pedem transferência do júri de Pedro Teles para capital alegando ‘jogo de cartas marcadas’

A defesa dos pistoleiros Moises Alexandre Pereira e Raimundo Pereira, acusados de matar no ano de 1997, em Barra do Corda, o líder comunitário e sem-teto Miguel Pereira Araújo, o Miguelzinho, a mando do empresário Pedro Teles, ajuizaram nesta segunda-feira pedido no Tribunal de Justiça do Maranhão solicitando a transferência do julgamento para São Luís.

Empresário Pedro Teles

A alegação é de que das 25 pessoas selecionadas para participar do júri popular, pelo menos 20 têm ligação com o empresário, seu pai, o prefeito Manoel Mariano de Sousa, o Nezim, e o deputado Rigo Teles (PV), irmão de Pedro (veja relação abaixo).

“Verifica-se que a lista de jurados sorteados é totalmente viciada, não havendo qualquer imparcialidade dos mesmos, nem tampouco haveria possibilidade de excluir aqueles que poderiam ser imparciais, já que dos listados com alguma ligação com a família do pronunciado Pedro Teles, só sobrariam cinco jurados, número insuficiente para compor o corpo de jurados, pois todos são amigos ou tem alguma ligação com a família do pronunciado”, diz o pedido.

A petição é assinada por Leandro Morais Sampaio Peixoto, filho do ex-prefeito Avelar Sampaio (PTB). Na época, foi Avelar quem cedeu Moisés e Raimundo para atuarem como segurança de Nenzim. O ex-prefeito deve prestar depoimento durante o julgamento.

Leia a íntegra do pedido de desaforamento

Leandro diz ainda na petição que cidades vizinhas como Grajaú e Presidente Dutra também não podem servir para a realização do júri, marcado para esta quarta-feira (25), porque Pedro Teles tem grande influência na região. Dos 25 jurados, apenas sete serão escolhidos para formar o júri. O advogado também ajuizou a petição na Corregedoria do Tribunal de Justiça no mesmo sentido.

Miguelzinho foi assassinado porque teria ocupado terras da família Teles em Barra do Corda.

1– Roservelt Guerra Gonçalves – irmão de Paulo Guerra, Assessor do deputado Rigo Teles, irmão do pronunciado Pedro;

2– Isamário Farias Lima – amigo íntimo da família e fornecedor da Prefeitura de Barra do Corda (gerente da Livraria do Estudante), a esposa, Joanice, é enfermeira contratada pela Prefeitura de Barra do Corda (conforme doc anexo);

3– Elker Sousa Ferreira – contratado da prefeitura como motorista, onde apenas recebe o salário, elencado na lista do mensalinho, pessoas que recebem salário do município sem trabalhar, e ainda amigo íntimo da família, um dos presidentes do bloco de carnaval Lisos dando shock, patrocinado exclusivamente por Rigo Teles.

4– Régis Moraes de Miranda – amigo particular do pronunciado Pedro teles, tem um prédio alugado para a prefeitura de depósito de merenda escolar;

5– Elinalda Rodrigues da Silva – está diretamente envolvida com o fato que culminou com a morte da vítima, Miguel Pereira Araújo. Era dona da terra invadida pela vítima. O marido dela é gerente do Posto Alvorada, de propriedade da família Teles e foi preso pela Polícia Federal junto com Pedro Teles.

6– Antonio Portilho Fonseca Filho – bioquímico contratado da prefeitura há mais de oito anos;

7– Idelbrando Alexandre Costa – motorista particular do Pedro Teles;

8– Bento Carreiro Carvalho – tem carro alugado para prefeitura, uma F-250;

9– Wilson da Silva Guimarães – fiscal da prefeitura;

10– Jean Amorim Pereira – filho do secretário de Administração da prefeitura, Gael Lobão;

11– Joana de Sousa Lima – esposa de Aldo Ribeiro, gerente do Banco de Empréstimo do pronunciado, Pedro Teles;

12– Manoel Moreira Lima – amigo de Pedro Teles, esposa é contratada pela Prefeitura Municipal de Barra do Corda;

13 – Rodrigo Silva Santos – motorista da Secretaria de Assistência Social de Barra do Corda e amigo íntimo da família Teles;

14 – José Arimateia Vilanova – “Vilar” amigo de Pedro Teles e ex-secretário da Secretaria de Indústria Comércio e Turismo da Prefeitura de Barra do Corda;

15 – Maria Edivania Pereira da Silva – Secretária da Abigail, mulher de Rigo Teles, está em cargo do Estado indicada pelo deputado;

16– Antonio Brás da Silva Filho – Amigo íntimo do pronunciado Pedro Teles;

17– Oliveira Florentino Filho – pré-candidato a Prefeito de Barra do Corda indicado pelo pronunciado Pedro, como noticiado por vários blogs (notícia anexa) trabalhou na Prefeitura como Secretário e é irmão do atual Secretário de Finanças;

18- Kelson Sousa Rabelo – Diretor do Hospital Municipal Acrísio Figueira, indicado por Pedro Teles;

19– George Alves Palma – vulgo “Bimbas”, proprietário de um lanche na cidade de Barra do Corda beneficiado pela prefeitura  com a entrega do estabelecimento comercial, um dos presidentes do bloco de carnaval “Lisos ando Shock”, amigo íntimo da família Teles, ainda recebe salário pela prefeitura sem trabalhar;

20 – Roberto Gleison Gomes Jorge – motorista da vereadora Nilda Barbalho, esposa de Pedro Teles.

Pedro Teles vai júri por morte de sem terra

Empresário Pedro Teles

O juiz e presidente do Tribunal do Júri de Barra do Corda, Gustavo Henrique Silva Mendes, marcou para o próxima quarta-feira (25) o júri popular do assassinato do líder comunitário sem-teto Miguelzinho Pereira da Silva, o Miguelzinho. O julgamento já foi adiado várias vezes.

Miguelzinho foi assassinado em 1997 por conta da disputa de terra em Barra do Corda, após gravar um depoimento contra o prefeito Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim (PV).

Interrogados, os assassinos identificaram o mandante, Pedro Alberto Teles de Sousa, filho de Nenzim e irmão do deputado estadual Rigo Teles (PV).

Pedro Teles, preso ano passado na Operação Astiages pela Polícia Federal, e seus capangas chegaram a ser presos na época, mas o desembargador Pires da Fonseca lhes concedeu um habeas corpus. Veja o edital do júri.

PF e TCU fazem nova devassa em Barra do Corda

Parece que é muito superior aos R$ 50 milhões, conforme apurado na Operação Astiages, os desvios praticados pela família do prefeito Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim (PV), em Barra do Corda.

Camburão da PF ficou na porta da prefeitura

Fiscais do TCU (Tribunal de Contas da União) voltaram ao município esta semana para aprofundar as investigações. Houve um estresse entre funcionários municipais e os fiscais da controladoria sendo necessário a convocação da Polícia Federal.

O pessoal de Nenzim teria dificultado o trabalho do TCU, que chamou os colegas federais. Um camburão da PF passou a ficar na porta do prédio da prefeitura enquanto vários agentes foram acompanhar os trabalhos dos auditores da controladoria.

No mês passado o blog informou sobre a licitação do “elefante branco”, colégio que leva o nome do prefeito, no valor de R$ 8,419 milhões. A unidade está sendo construída pela Prediolar, construtora denunciada em relatório da CGU por insconsistência de endereço em obras na cidade de Afonso Cunha.

O contrato da Prediolar com da Prefeitura de Barra do Corda, celebrado em 2009, só apareceu no Diário Oficial do Estado no  15 de fevereiro. Um dos sócios da firma, José Orlando Aquino, foi denunciado pelo Ministério Público Federal ao TRF (Tribunal Regional Federal) da 1ª Região (Brasília) junto com o próprio Nenzim e outras cinco pessoas, por desvio de recursos municipais, em 2007. Na época, Aquino era dono da firma J.J. Comércio. O TRF aceitou a denúncia (reveja).

Pelo jeito a casa de Nenzim poderá cair novamente a qualquer momento.

Rigo defende ‘elefante branco’ construído pelo pai

O deputado Rigo Teles defendeu ontem, em discurso na Assembleia, o “elefentante branco educacional” construído pelo pai, o prefeito Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim (ambos do PV), em Barra do Corda.

O Complexo Educacional Manoel Mariano de Sousa está sendo construído pela Prediolar Locação de Veículos e Máquinas ao custo de R$ 8,419 milhões. Terá quatro andares, 63 salas e dois elevadores. Como é erguido numa área residencial, não terá quadra poliesportiva. A previsão é que abrigue 3.600 alunos por turno.

Complexo Educacional Manoel Mariano de Sousa não terá quadra poliesportiva coberta por falta de espaço

A construtora foi denunciada em relatório da CGU (Controladoria Geral da União) por insconsistência de endereço. O contrato da Prediolar com da Prefeitura de Barra do Corda, celebrado em 2009, só apareceu no Diário Oficial do Estado no último dia 15.

Um dos sócios da firma, José Orlando Aquino, foi denunciado pelo Ministério Público Federal ao TRF (Tribunal Regional Federal) da 1ª Região (Brasília) junto com o próprio Nenzim e outras cinco pessoas, por desvio de recursos municipais, em 2007. Na época, Aquino era dono da firma J.J. Comércio. O TRF aceitou a denúncia (reveja). Nenzim é acusado pela Polícia Federal de desvios de cerca de R$ 50 milhões nos últimos anos do município.

Segundo Rigo, a escola está sendo construída com recursos do governo federal e do governo do Estado. ”As obras foram aprovadas e são vistoriadas pelo Ministério da Educação e pela Secretária de Estado da Educação (Seduc). As críticas são uma discriminação a Barra do Corda. Se o prefeito não faz, falam mal. Se faz, também criticam”, disse.

Ele disse que a escola se destaca como o maior prédio do município, não só pela beleza arquitetônica, mas por ostentar um espaço adequado para o ensino de qualidade: grandes salas de aulas, bibliotecas, laboratórios, auditórios e outras dependências indispensáveis ao bom aprendizado.

Rido Teles explicou que o complexo não terá quadra poliesportiva porque existe uma próxima ao prédio de responsabilidade do município. Eel, no entanto, disse não saber nada sobre a Prediolar e seu enrolado sócio

O filho do prefeito de Barra do Corda confirmou que o próprio secretário de Educação, João Bernardo Bringel, afirmou que o complexo seria difícil de ser administrado por conta do seu gigantismo.

Os deputados Roberto Costa (PMDB) e o líder do governo César Pires (DEM), ex-secretário de Educação. O peemedebista, que assumiu nesta quarta-feira a presidência da Comissão de Educação da Assembleia, classificou o complexo como uma “obra de vanguarda”. “Defendi apenas a importância de uma escola bem aparelhada”, justificou-se o democrata.

Nenzim e empresário que constrói ‘elefante branco’ em Barra do Corda já foram denunciados pelo MPF

O prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim (PV), foi denunciado pelo Ministério Público Federal em 2007 junto com o empresário José Orlando Aquino, dono da Construtora Prediolar Locação de Veículos e Máquinas, e outras cinco pessoas acusadas desvio de recursos da prefeitura. Na época, José Aquino era proprietário da firma J.J. Comércio.

Neste sábado (25), o blog denunciou que a Prediolar constrói o Complexo Manoel Mariano de Sousa ao custo de R$ 8,419 milhões (reveja). O contrato da Prefeitura de Barra do Corda com a construtora foi celebrado em 2009 e somente agora publicado no Diário Oficial. A construtora já caiu na malha fina da CGU por conta de obras em Afonso Cunha. A acusação foi de inconsistência de seu endereço em 2008.

Complexo Educacional Manoel Mariano de Sousa não terá quadra poliesportiva coberta por falta de espaço

O complexo já é apelidado de “elefefante branco educacional” devido sua difícil administração. Terá quatro andares, dois elevadores, cerca de 70 salas e 3.600 alunos por turno. Apesar de todo esse gigantismo, não tem quadra poliesportiva coberta porque está sendo construído “espremido” entre várias residências.

Leia abaixo ou aqui a matéria produzida pela assessoria do Ministério Público Federal informando que o Tribunal Regional Federal, em Brasília, recebeu a denúncia contra Nenzim e os outros acusados.

MPF/MA: TRF-1 recebe denúncia contra prefeito de Barra do Corda

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), em Brasília, recebeu a denúncia contra Manoel Mariano de Souza, ex-prefeito de Barra do Corda (MA), e outras seis pessoas pelos crimes de desvio de recursos em proveito próprio e fraude em processo licitatório. O crime teria acontecido entre janeiro de 1997 e dezembro de 2000. A ação criminal foi proposta pelo Ministério Público Federal no Maranhão em fevereiro de 2004, nessa época o denunciado não era mais prefeito. Atualmente Manoel Mariano é prefeito de Barra do Corda.

Para o MPF, Manoel Mariano comandava todas as irregularidades denunciadas. O prefeito convidava empreiteiras para executar serviços para a prefeitura e determinava a montagem de procedimentos licitatórios, que na verdade não tinham qualquer competição. Com a ajuda dos empreiteiros contratados ilicitamente, desviava parte dos recursos federais em seu proveito  e de seus familiares. Permitia também que os contratados se locupletassem executando obras sem qualquer benefício para a coletividade, que culminaram em prejuízos para os cofres públicos.

Segundo o procurador da República Marco Aurélio Adão, o prefeito ainda se valia de notas fiscais falsas emitidas pelas empresas contratadas para forjar as suas prestações de contas, elaboradas com informações fictícias, e, dessa forma, encobria os desvios e os desperdícios de recursos públicos. Além disso, no projeto de trabalho elaborado para celebrar convênio com a União (Convênio 148/98, Ministério do Meio Ambiente), inseriu informações falsas para obter a liberação de recursos federais, ao final desperdiçados e desviados.

Os outros denunciados são: César Nobre Braga, ex-secretário municipal; Pedro Alberto Teles de Souza, filho do prefeito; José Lauro de Castro Moura, representante da empresa Enciza Engenharia Mecânica Ltda; Antônio Carlos Borges de Araújo, dono da empresa Hidrosonda Ltda; Jocymar Carvalho Lima, sócio da empresa Transamérica Empreendimentos e Construções Ltda; e José Orlando Rodrigues Aquino, responsável pela firma J.J. Comércio Construção e Perfuração Ltda.

Nenzim constrói ‘elefante branco educacional’ com firma suspeita em Barra do Corda

Complexo Educacional Manoel Mariano de Sousa não terá quadra poliesportiva coberta por falta de espaço

O prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim (PV), só deve estar de brincadeira e deboche com o contribuinte maranhense.

Tapera funciona de escola no Povoado Olho D'Água em Barra do Corda

Acusado pela Polícia Federal de desviar junto com a família cerca de R$ 50 milhões – teve de se foragir para não ser preso – está construindo uma escola na cidade que leva seu nome ao preço astrônomico de R$ 8,419 milhões.

Só para se ter uma ideia: o Liceu Ribamarense, em São José de Ribamar, escola em tempo integral e referência no estado, custou R$ 2,5 milhões.

O Complexo Educacional Manoel Mariano de Sousa, no bairro Trizidela, custará mais de três vezes que o Liceu. Terá quatro andares, dois elevadores e cerca de 70 salas de aulas.

Por ficar espremido entre várias residências não terá quadra poliesportiva coberta. A previsão é que tenha por turno 3.600 alunos. A cidade tem cerca de 22 estudantes na rede municipal. É um verdadeiro “elefante branco”.

Da Secretaria de Educação do Estado, o complexo já foi classificado de “insensatez pedagógica” devido a sua difícil administração.

De quase toda a cidade se vê o “monstrengo educacional” que está com 50% dos serviços concluídos. Difícilmente será entregue este ano, como previsto. Segundo educadores, seria mais prudente a construção de várias escolas em locais diferentes do município.

O engraçado é que até hoje a prefeitura não explicou se vai ou não construir a escola, no povoado Olha d’Água, onde uma tapera serve de colégio para crianças da localidade (reveja).

O contrato da Prefeitura de Barra do Corda com uma tal Construtora Prediolar Locação de Veículos e Máquinas foi celebrado ainda em 2009, mas só publicado no Diário Oficial do último dia 15, o que já levanta uma série de suspeitas. A Prediolar já caiu na malha fina da CGU por conta de obras em Afonso Cunha. A acusação foi de inconsistência de seu endereço em 2008. Hoje a empresa estaria estabelecida no bairro do Cohatrac, em São Luís.

No endereço onde deveria funcionar a sede da Prediolar, a CGU encontrou muito mato, segundo relatório

“Na av. Janguará, n.º 6.000, Bairro São José dos Índios – São José dos Ribamar/MA, não foi encontrada a Construtora Prediolar Locação de Veículos e Máquinas Ltda. Essa avenida situa-se em uma região cercada por muito mato, onde se avista algumas chácaras e poucas residências. A impressão que se tem é que se está em meio a uma floresta, longe de tudo”, diz a CGU (veja a íntegra do relatório).

E completa: “Tendo em vista que a Construtora Prediolar Ltda não foi localizada no endereço de seu cadastro, realizou-se diligência ao domicílio do proprietário da empresa, o senhor José Orlando Rodrigues Aquino. Sua residência é localizada em uma região muito humilde e pouco habitada, situada na Vila Gaspar do Município de Paço do Lumiar/MA, muito próximo ao suposto endereço de sua construtora. Ao contrário de sua vizinhança, a residência do proprietário da Prediolar é bastante ampla: possui área para festa com jardins , piscina e churrasqueira, uma verdadeira mansão em meio à casas de aparência muito simples.”

Já um dos donos mora numa verdadeira mansão, segundo relatório da CGU

Nenzim gasta R$ 1 milhão no Carnaval

O prefeito de Barra do Corda, Manoel Marinao de Sousa, o Nenzim (PV), gastou nada menos que R$ 1 milhão no Carnaval da cidade, que já foi um dos melhores do Maranhão. A informação consta de publicação no Diário Oficial do Estado do último dia 15.

Segundo a turma da oposição, no último dia da folia oficial uma das bandas só chegou para tocar às 3h. Entre a meia-noite e a chegada do grupo, o jeito foi soltar som mecânico.

Nenzim inaugura ponte que ‘derrubou’ ministro

O prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim (PV), inaugurou no sábado (11), numa grande festa popular, uma ponte sobre o Rio Corda ligando o Centro aos bairros Vila Canadá, Tamarindo, Vila Juá e Incra.

Rigo Teles e Nenzim (centro) felizes da vida na inauguração

Nada demais não fosse um detalhe. A denúncia de repasse de R$ 1 milhão em emendas pelo deputado Pedro Novais (PMDB) para a obra ajudaram a derrubar o peemedebista do Ministério do Turismo.

Em agosto do ano passado, a Folha de S. Paulo denunciou que mesmo sem licitação os serviços estavam sendo realizados. A empresa responsável pela obra era a Planmetas, firma de fachada que tinha como endereço o bairro do Bequimão, em São Luís (reveja).

Na verdade, a Planmetas é ligada ao ex-secretário Pedro Teles, filho do prefeito, preso pela Polícia Federal ano passado durante a Operação Astiages.

Entre outros participaram da inauguração da “Ponte do Ministro que Cai” o presidente da Assembleia, Arnaldo Melo (PMDB), os deputados estaduais Doutor Pádua (PP) e Carlinhos Amorim (PDT), o anfitrião Rigo Teles (PV), o federal Francisco Escórcio (PMDB), o secretário Israel Ferreira (Políticas Públicas) e, acreditem, juízes e promotores.

Roseana ‘une’ adversários políticos no interior

A viagem da governadora Roseana Sarney, esta semana, ao interior do Maranhão comprovou que ela continua imbatível na arte de conciliar e aglutinar as mais diversas correntes políticas. Um bom exemplo disso foi o que ocorreu nos municípios de Imperatriz e Barra do Corda, onde grupos da situação e oposição dialogaram tranquilamente com a chefe do Executivo estadual sobre os pleitos para as duas cidades.

Roseana com grupo de oposição em Barra do Corda na casa de Aristides Milhomem. Foto: Handson Chagas

Em Imperatriz, o ex-prefeito Hildon Marques (PMDB), e o atual prefeito Sebastião Madeira (PSDB), se juntaram à governadora na inauguração da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e na confraternização com as lideranças da região.

O próprio Sebastião Madeira afirmou que a parceria com o governo tem proporcionado muitos avanços para a cidade. “Agovernadora Roseana tem trabalhado por Imperatriz, e digo isso com a consciência tranquila”, declarou.

Na manhã desta quinta-feira (15), em Barra do Corda, a governadora Roseana conversou com o prefeito  Manoel Mariano Sousa, o Nenzim (PV); com o vice-prefeito Aristides Milhomem (PSD) e o ex-prefeito Raimundo Avelar Sampaio (PP). Ela foi na casa de cada uma das lideranças.

Mais uma prova também de que o governo de Roseana Sarney não se atém a bandeiras políticas partidárias, mas visa o bem estar de toda a população. “Trabalho para todos os maranhenses”, já declarou a governadora.

No entanto, em Açailândia o grupo que faz oposição ao prefeito Ildemar Gonçalves (PSDB) se recusou a participar em qualquer evento com ele. Por conta disso, Roseana se reuniu com o grupo na casa da ex-prefeita Gleide Santos (PMDB).

Nenzim apoia greve de PMs em Barra do Corda

Não é só a oposição que está jogando gasolina na greve para ver o circo pegar foto. Supostos aliados da governadora Roseana Sarney (PMDB) estão se aproveitando politicamente do movimento.

Mesmo sem ser chamado a ajudar, o prefeito de Barra do Corda, o enrolado Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim (PV), mandou entregar nesta segunda-feira uma banda de boi, água, frutas e lanche aos PMs que aderiram à greve na cidade.

Com aliados como Nenzim, governadora Roseana não precisa de inimigos

Nenzim encarregou seu capanga, o cabo Hadroldo Cunha do Nascimento, mais conhecido como Alderodo, a ir ao Quartel do 5º Batalhão entregar os mantimentos aos grevistas. O PM é o preferido do prefeito, pai do deputado governista Rigo Teles (PV), para disputar sua reeleição.

Durante adesão dos policiais à greve houve tumulto e confusão. Irritado com o movimento que tentava impedir sua entrada no quartel, o Capitão Carlos partiu para cima dos grevistas. No tumulto, ele arrancou o carro e passou por cima do pé do Soldado Coelho.

Já o comandante do Batalhão, Major Markus, que bate “continência” para Nenzim, não se mostrava tão revoltado com a situação quanto o colega capitão.

Três caminhoneiros que foram assaltados e espancados por índios Guajajaras na BR-226 não conseguiram o socorro dos PMs grevistas.

Alderodo é acusado de uma série de delitos em Barra do Corda, principalmente agressões a desafetos do prefeito. As queixas nunca deram em nada.

O blog quer saber agora o porquê do cabo estar à disposição de Nenzim.

Está passando da hora da própria governadora determinar ao secretário Aluísio Mendes (Segurança) e ao comando da PM determinar o retorno de todos esses PMs, à disposição de políticos, o retorno imediato ao Quartel em São Luís.

É o caso do cabo Santos, lotado no gabinete do Neto Evangelista, e de outro policial abrigado no gabinete de Rogério Cafeteira (PMN).

Está na hora de moralizar a Polícia Militar do Maranhão.

Outro lado

O cabo Hadroldo Cunha do Nascimento entrou em contato com o blog para negar que tenha levado alimentação aos grevistas. Ele disse que trabalha com o prefeito porque está em licença não remunerada.

O militar disse que foi ao quartel para visitar o Major Markus, chefe do 5º Batalhão. Segundo ele, o prefeito colocou toda a Guarda Municipal nas ruas.  “Essas informações não procedem. O Nenzim ficou nunca traiu Roseana”, disse.

Apesar dos esclarecimentos, o blog mantém todas as informações já publicadas.

Nota: Post alterado às 21h15 para acréscimo de informações.

Família Nenzim faz acordo para evitar rompimento

Em reunião neste final de semana, a família do prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim (PV), entrou em acordo para evitar mais brigas no clã por conta sucessão municipal. 

Prefeito Nenzim e primeira-dama Santinha

O ex-secretário Pedro Teles, preso pela Polícia Federal no início do ano, disputa com o pai e o irmão, deputado Rigo Teles (PV), com quem é rompido, a indicação do nome para prefeito.

Pedro Teles tentou primeiro emplacar a mulher, a presidente da Câmara Nilda Barbalho (PV), inelegível por conta do parentesco com Nenzim. Depois lançou o cunhado Aurean Barbalho, irmão de Nilda, sem sucesso.

Agora ele diz não abrir mão da candidatura do tesoureiro da prefeitura, Oliveira Florentino. O pai e irmão não aceitaram. Nenzim quer lançar o “capanga”, o sargento PM Alderodo. Rigo apoia Alderodo, mas no fundo prefere o cunhado, vereador Marquinho Cunha (PV).

Por conta do impasse, Pedro Teles ameaçava se alinhar à oposição. Rigo disse ao blog que a reunião de família foi para acabar com todas essas arestas.

“A família se reuniu e decidiu que só voltará a falar em candidaturas após o Carnaval. O lançamento dessas nomes estava gerando muitas brigas”, admitiu.

O deputado contou que a confusão se intensificou há duas semanas quando o pai apresentou Alderodo como seu candidato ao ministro Edison Lobão (Minas e Energia) e à governadora Roseana Sarney (PMDB), irritando Pedro Teles.

Acossada por investigações da Polícia Federal, a família Nenzim resolveu entregar os aneis para não perder os dedos e as próprias mãos.

Notas Rápidas

Mudanças no TRE
Os juízes Sérgio Muniz e José Carlos Sousa e Silva participaram na terça-feira de suas últimas sessões no TRE. Com seus biêncios próximos a ser encerrados, eles aguardam  a decisão da presidente Dilma Roussef sobre a recondução para um mandato de mais dois anos. Caso a decisão não saia dentro de dez dias, serão substituídos pelos advogados Rosimar Salgueiro e Francisco Ramos, o Chicão. Muniz e José Carlos integram a lista tríple encaminhada a Brasília.

Meu nome é trabalho
Durante sua despedida, Sérgio Muniz apresentou números de sua atuação no Tribunal Eleitoral. Disse ter recebido 819 processos e estar deixando apenas cinco por julgar. Segundo ele, os esses processos só não foram analisados por questões externas a seu gabinete.

Cassação 1
O juiz José Jorge Figueiredo dos Anjos chegou com todo gás no TRE. Na semana passada, foi relator de dois processos em que pediu a cassação do prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim (PV). No entanto, foi derrotado nos votos dos outros juízes.

Cassação 2
No dia seguinte ao julgamento, Nenzim chegou de avião em Barra do Corda para comemorar. Mandou soltar foguetes e fazer carreata na cidade que reuniu menos de 50 veículos. Fez um discurso ufanista na sede da prefeitura para poucos funcionários municipais.

Irene Soares, de Presidente Dutra

“Prefeita 31″
Essa não tem jeito. Apelidada de “Prefeita 31″, por passar apenas 1 dia do mês na cidade, a prefeita Irene Soares (Presidente Dutra) tem uma estratégia para não ser cassada por abandono do cargo. Depois de mais de suas semanas fora da cidade, ela chega sempre aos finais de semana, organiza uma cachaçada na casa de parentes e chama alguns vereadores para servir de testemunhas. No dia seguinte, põe novamente o pé na estrada.

Exame da Ordem
O deputado Marcelo Tavares (PSB), líder da Oposição, não se conforma com a decisão de ontem do STF que declarou constitucional o Exame da Ordem. Formado em Direito, o parlamentar nunca conseguiu passar nos testes para exercer a advocacia.

Falecimento
Morreu na madrugada desta quinta-feira, em Brasília, o ministro aposentado do TST e ex-presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Comércio (CNTC) Antonio Alves Almeida. Ele era pai do deputado estadual Alexandre Almeida que está na Capital Federal onde acompanhará o velório e enterro. Aos familiares, meus sinceros pêsames.

Feriado
O Tribunal de Justiça manteve para esta sexta-feira, 28, o feriado do Dia do Servidor Público. A governadora Roseana Sarney transferiu o do Estado para segunda-feira.

Comércio
Ex-proprietário de lojas de importados em São Luís, o ex-deputado Wagner Pessoa tem frequentado e negociado um novo produto com os colegas em gabinetes, corredores e até no Plenário da Assembleia: o estimulantes sexual Cialis.

União em Paço do Lumiar
Ex-integrante de proa do Movimento SOS Paço, a ex-vereadora Silvana Neves se uniu ao projeto de reeleição da prefeita Bia Venâncio (PSD). No auge da luta contra Bia, Silvana chegou a xingar desembargadores na porta do Tribunal de Justiça.

Exemplo em Ribamar
O prefeito de Ribamar, Gil Cutrim (PMDB), antecipou para esta sexta-feira o pagamento do funcionalismo municipal. O do Governo do Estado foi feito nesta quinta-feira.

Acorda, Fátima Travassos!
Perguntar não ofende: com tantas denúncias em Matões, é preciso saber se existe Ministério Público na cidade.

Barra do Corda: tapera que funciona como escola está registrada no MEC


Em nota enviada ao blog a secretária de Educação de Barra do Corda, Antonia Elda Pereira Azevedo, tenta esclarecer e acaba confirmando uma situação mais vergonhosa ainda.

Diz que a “escola” no povoado Olho d’Água, mostrada aqui, está registra no Ministério da Educação como “barracão cedido”.

Será que o ministro Fernando Haddad já tomou conhecimento de tal “barracão”? E o secretário João Bernardo Bringel (Educação) diz o quê?. Porque do prefeito Nenzim (PV) não se pode esperar mais nada.

Leia abaixo a nota de esclarecimento e reveja aqui o vídeo mostrando a real situação da “escola”:

Nota de Esclarecimento

Caros leitores, a Secretaria Municipal de Educação de Barra do Corda entende que todos os munícipes merecem um atendimento educacional que atendam os padrões de funcionamento; para isso ela propicia o acesso e permanência de seus educando.

No entanto nos deparamos com algumas situações que fogem ao padrão regular, em virtude das peculiaridades e alguns fatores como localização, migração das famílias e demanda insuficiente do alunado.

Nosso objetivo nessa nota é esclarecer a situação peculiar da Unidade Escolar Olho D’Água, localizada no povoado Olho D’agua, inscrita no INEP sob número 21268100 registrada junto ao MEC como Barracão cedido, não podendo ser construída com recursos públicos por está situada em propriedade particular, trabalhando com o número de 8 educandos e funcionando para atender uma situação urgente que é oferecer educação àqueles que residem naquela localidade.

Entendendo educação como um processo formativo que precisa não apenas de estrutura física, mas também de acompanhamento e interferências pedagógicas; evidenciamos que a Unidade Escolar em questão apresenta estrutura física fragilizada, porém tem sido direcionado um acompanhamento pedagógico intenso diferenciado com material didático e merenda escolar, procurando oferecer a educação de qualidade que cada educando que está sob nossa responsabilidade merece.

Esclarecemos ainda que as informações prestadas ao MEC estão disponíveis no site: http://www.educacenso.inep.gov.br podendo ser verificadas as informações oficias declaradas pela Secretaria Municipal de Educação.

Atenciosamente,

Antonia Elda Pereira Azevedo
Secretaria Municipal de Educação.

Mais um ‘exemplo’ de escola agora em Mirador

Escolas como as mostradas pelo blog em Barra do Corda e Itapecuru existem centenas no Maranhão. Essa aí fica no povoado Chapadinha, em Mirador. O prefeito da cidade é Joacy de Andrade Barros, o Dr. Joacy (PPS).





Acredite! Isso é uma escola! – o vídeo

Doeu no coração as imagens impressionantes da escola Olha d’Água, no povoado de mesmo nome distante 15 km do centro de Barra do Corda. A assessoria do prefeito Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim (PV), diz que a escola não pertence ao município. Segundo a assessoria, o colégio fica dentro de uma fazenda e atende dez crianças. O município só ajuda fornecendo a merenda escolar e um professor porque o local é difícil acesso.

Tudo conversa fiada, de acordo com o verador Aldo Andrade. Ele fez denúncia na Câmara da cidade esta semana dizendo que a escola está até registrada no MEC com objetivo de receber recursos federais. “O prefeito de Barra do Corda acha que as pessoas só existem no centro do município”, diz o político que denuncia o caso desde 2004 mas nunca foi ouvido pelas autoridades e imprensa.

As imagens que você vai ver abaixo são chocantes. A escola não tem merenda escolar alguma fornecida pela prefeitura, como alegado pela assessoria de Nenzim, acusado pela Polícia Federal de desviar mais de R$ 50 milhões da prefeitura.

As crianças lancham coco de macaúba que pegam no mato. O fogão serve de armário. No teto do “prédio” é possível ver um cupinzeiro. Uma cerca de arame farpado na lateral da tapera separa os alunos dos animais. O banheiro é o mato.

O morador Santiago Pereira diz que o marido da professora e os pais dos alunos é que reformaram a escola para ela não cair. “Se entrar o inverno vai cair tudo”, alerta.

Clique e veja o descaso com a educação em Barra do Corda.