Editorial da Folha: o recuo da Petrobras

Da Folha de S. Paulo:

A definição do plano de negócios da Petrobras para o quinquênio 2011-2015 foi demorada: prevista para o primeiro trimestre, só teve conclusão há uma semana.

Do prolongado embate entre a diretoria da empresa e o seu Conselho de Administração -em que representantes do governo federal constituem ampla maioria- resultou um plano mais coerente com as diretrizes da política econômica e que, à primeira vista, não parece ferir os interesses dos inúmeros acionistas minoritários.

Plano de Investimento da Petrobras adiou em dois anos refinaria no MA

A direção da Petrobras, na versão inicial do plano, propunha um salto nos investimentos da empresa, que iriam de US$ 224 bilhões (valor aprovado para o período 2010-2014) para mais de US$ 270 bilhões até 2015. Por força da pressão do governo, essa programação de investimentos foi revista, recuando para US$ 224,7 bilhões.

O novo valor, quase igual ao estabelecido em 2010, marca uma interrupção na escalada dos investimentos desde fins da década de 1990, quando o setor de petróleo foi aberto à iniciativa privada.

O governo optou por pisar no freio já no curto prazo: a Petrobras terá de cortar os investimentos previstos para 2011 de US$ 93 bilhões para US$ 84,7 bilhões.

A aceleração das encomendas da Petrobras poderia reforçar, numa economia já aquecida, pressões inflacionárias. Ao lado disso, para ajudar a financiar o novo salto seria preciso, conforme as primeiras versões do plano, aumentar o diesel e a gasolina -com importante impacto sobre os índices de preços. Por fim, pesou na opção o fato de que, gastando menos, a Petrobras contribuiria para o superavit nas contas públicas.

É comum, e muitas vezes justificada, a preocupação com a possibilidade de que ingerências políticas numa empresa com ações em bolsa, como a Petrobras, redundem em ineficiência e prejuízos aos investidores privados com participação minoritária.
Desta feita, os representantes do governo no Conselho de Administração deram ênfase à necessidade de aumentar a eficiência da empresa para garantir o retorno dos projetos de investimento.

O mercado parece ter reagido favoravelmente. Houve uma clara recuperação dos preços das ações da Petrobras, interrompendo uma já prolongada tendência de baixa.

Discriminação? Petrobras mantém prazo da refinaria do Ceará e adia a do Maranhão em 2 anos

Do Diário do Nordeste:

Fortaleza – As especulações sobre um possível atraso no cronograma de instalação da refinaria Premium II, a ser construída no Pecém (CE), não se confirmaram, e o empreendimento teve sua data de operação mantida para 2017. Já a unidade do Maranhão, entretanto, foi postergada, segundo informou ontem o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, ao divulgar o Plano de Negócios 2011-2015 da companhia.

Cearenses comemoram manutenção de investimentos na Premium II

De acordo com Gabrielli, diante da necessidade de revisão nos investimentos, a companhia atendeu ao pedido da presidente Dilma Rousseff de não realizar corte nos aportes às novas refinarias, mas sim uma postergação. A decisão pelo adiamento só atingiu a refinaria Premium I, que está em processo de terraplanagem no município de Bacabeira, no Maranhão.

O complexo entrará em operação em duas fases, cada uma com capacidade de refino de 300 mil barris de petróleo por dia (bpd). A primeira, programada no plano anterior para 2014, foi repassada para 2016. A segunda também foi atrasada em dois anos, passando de 2017 para 2019.

No último plano de negócios da estatal, a refinaria cearense foi adiada de 2013 para 2017, e teve seu projeto reprogramado para entrar em operação em uma única fase – antes seriam duas. No atual plano, não houve alterações no planejamento para a unidade cearense. A Premium II terá capacidade de refino para 300 mil bpd.

A Petrobras planeja investir deste ano até 2015 um montante de US$ 224 bilhões (R$ 386 bilhões), concentrando 57% destes recursos no segmento de Exploração e Produção, com destaque para o desenvolvimento das áreas do pré-sal. Para a ampliação do parque de refino, ela investirá US$ 35,3 bilhões, a serem alocados nas quatro novas refinarias: Premium I e II, Abreu e Lima, em Pernambuco, e Comperj, no Rio de Janeiro.

A pernambucana, que deverá iniciar sua produção no ano que vem, está com 70% de suas obras concluídas, segundo informou Gabrielli. A primeira fase da Comperj, com capacidade de 165 mil bpd, começará em 2013, e sua duplicação está programada para operar em 2018. Leia mais aqui.

Governadora entrega licença para construção da Refinaria da Petrobras

Mais uma etapa para a instalação da maior obra de refino da América Latina foi confirmada. Na manhã desta quinta-feira (19), no Palácio dos Leões, a governadora Roseana Sarney entregou ao gerente geral de Implantação da Refinaria Premium I, Fernando Martinez, a Licença de Instalação (LI) do empreendimento da Petrobras. 

Roseana entrega licença a Fernando Martinez, gerente da refinaria. Foto: Geraldo Furtado

A Licença de Instalação é mais um compromisso legal que o Governo do Estado cumpre para que a refinaria seja um projeto estruturante, de atração de investimentos, e também que seja sustentável.

O gerente de Segurança, Meio Ambiente e Saúde (SMS) da Refinaria, Wilson Vieira; o gerente de Relacionamento Externo da Refinaria I, Rogério Ferreira; os secretários de Estado de Meio Ambiente, Victor Mendes; de Minas e Energia, Ricardo Guterres; secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Bernard Bringel e de Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Maurício Macedo acompanharam a entrega da licença.

O empreendimento se encontra na fase de obras de terraplanagem, que deve perdurar até o fim de 2012/ início de 2013, cuja intensidade deve ser retomada a partir de julho com a diminuição do período chuvoso no estado.

“A partir de julho, os trabalhos vão se intensificar nas obras de terraplanagem. A partir daí começa a obra de construção civil, montagem eletromecânica e início de operação da Refinaria, prevista para final de 2014. Na primeira fase da Refinaria serão produzidos 300 mil barris por dia, já na segunda fase, no fim de 2016, serão produzidos 600 mil”, explicou Fernando Martinez.

A instalação da Refinaria, orçada em R$ 40 bilhões em investimentos, irá gerar cerca de 132 mil empregos diretos e indiretos.  A Premium I é um dos grandes projetos que estão sendo implantados no estado, terá capacidade para processar 600 mil barris/dia de petróleo, tendo como os produtos finais gás de cozinha (GLP), Nafta, Bunker, Coque, Querosene de Aviação (QAV) e Diesel. 

Sobre o impacto ambiental da construção da Refinaria, o secretário de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA), Victor Mendes informa que os impactos foram estudados. “Todos os critérios legais da obra foram atentados e todos os colaboradores da SEMA  estão fazendo a análise criteriosa para não atrapalhar o andamento das obras”.

Capacitação de mão de obra

Para garantir que trabalhadores maranhenses ocupem as vagas que serão geradas por meio da construção e operação de empreendimentos que chegam ao estado, o Governo lançou o programa Maranhão Profissional, com a objetivo de qualificar 400 mil pessoas.

Em parceria com o Programa Nacional de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo (Prominp), por meio de convênio com o Ministério do Trabalho, já estão sendo realizados cursos de qualificação profissional para os municípios de Bacabeira, Rosário, Santa Rita e São Luís, se estendendo a Morros e Icatu, além de Paço do Lumiar.

A previsão é de que cerca de 7 mil trabalhadores sejam qualificados. Atualmente, estão sendo priorizadas as profissões de pedreiro, carpinteiro, armador e pintor, a mão de obra mais solicitada na etapa de construção do empreendimento.

(As informações são do Governo do Maranhão).

Petrobras abre concurso público na segunda

A Petrobrás abrirá na próxima segunda-feira, dia 10, as inscrições para um novo processo seletivo, que tem como objetivo preencher 838 vagas, sendo 220 delas destinadas a profissionais com nível superior e outras 618 para trabalhadores com nível médio. Segundo a estatal petrolífera, as inscrições terminam no dia 27 deste mês.

Para realizar a inscrição, os interessados devem acessar a página eletrônica da Fundação Cesgranrio na internet. O valor da taxa de inscrição para os candidatos para as vagas de emprego para nível médio é de R$ 30. Já os profissionais com nível superior pagarão R$ 45.

A empresa estatal informou ainda que as provas objetivas serão aplicadas no dia 27 de fevereiro. A remuneração mínima inicial varia de R$ 1.801,37 a R$ 6.217,19. A Petrobrás oferece previdência complementar, plano de saúde, além de benefícios educacionais para dependentes, entre outros.

O edital completo do concurso público está disponível no Portal da Petrobras na internet.

(Com informações do Jornal da Tarde).

Dilma: refinarias do MA e CE ‘cruciais’ para pré-sal

Dilam e Lula participaram de coletiva onde defenderam projetos no NE

A presidente eleita do Brasil, Dilma Roussef (PT), disse nesta quarta-feira que as refinarias premium que a Petrobras está construindo no Maranhão e Ceará são “crucias” para o refino do petróleo a ser explorado na camada do pré-sal. Dilma, que participou de coletiva junto do presidente Lula, voltou a defender as outras refinarias que estão sendo construídas no Nordeste e os projetos de desenvolvimento da região.

“Outra obra de grande porte que está iniciando – já começou, além da terraplanagem, é a Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Além disso, nós temos a Clara Camarão, que está em um processo final; essa não atinge mais o meu governo, conclui no governo do presidente Lula. E as duas Premium: tanto a Premium do Ceará, quanto a Premium do Maranhão, que são cruciais para o pré-sal, porque nós não podemos ser exportadores de óleo bruto”, disse a presidente eleita.

Ela explicou sua posição: “Se a gente for exportador de óleo bruto, nós vamos perder muito dinheiro. Nós temos que ter duas refinarias Premium, não por uma mania de grandeza, como algumas vezes a oposição falou da Petrobras, mas por uma estratégia. Por que você tem que refinar? Você tem que refinar porque quando se refina, o preço do petróleo sobe mais que proporcionalmente ao custo do refino e te permite entrar em uma outra área, delicadíssima, que chama-se petroquímica. Que, aí, o ganho é acima de mil por cento. E todo o desenvolvimento de todo país do mundo é petroquímico-dependente. Porque se você for ver, é das nossas meias, das nossas meias, passando por toda a área de maquiagem, toda a área de produção de tintas, toda a área de químicos, toda… Então, ao mesmo tempo que o Brasil vai ter que apostar nisso, ele vai estar fazendo um etanol químico, também. O que é algo estratégico para nós, porque nós somos líderes em etanol, no mundo.”

Dilma citou o caso das refinarias no Nordeste no contexto de obras de infraestrutura na região iniciadas no governo Lula: a integração da Bacia do São Francisco e as Ferrovias Transnordestina e Eliseu Martins. Ela disse que tratará a Sudene e o DNOCS como “braços de desenvolvimento do Nordeste”.

Veja abaixo a íntegra da intrevista de Lula e Dilma. A fala da presidente eleita sobre as refinarias começa por volta dos 35 minutos.